publicidade
10/01/19
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

PSOL vai à Comissão de Ética contra promoção de filho de Mourão

10 / jan
Publicado por Amanda Miranda em Notícias às 12:02

A promoção de Antonio Rossell Mourão, filho do vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), será questionada pelo PSOL. O partido anunciou que vai entrar com uma representação na Comissão de Ética Pública, vinculada à presidência, nesta quinta-feira (10) contra a nomeação dele para o cargo de assessor especial da Presidência do Banco do Brasil, triplicando o seu salário, que agora será de  R$ 36,3 mil.

De acordo com o PSOL, a representação se baseia no decreto nº 7203/2010, que trata sobre o nepotismo. O partido defende que a legislação veda nomeações, contratações ou designações de familiares do presidente e do vice para cargos comissionados ou de confiança em todo o Executivo federal.

LEIA TAMBÉM
» ‘Se pudesse, teria o meu filho na minha equipe’, afirma Mourão
» Promoção de filho faz vice se explicar a Bolsonaro

A legenda afirmou que vai pedir a exoneração da função de confiança e uma possível recomendação de abertura de procedimento administrativo.

“A nomeação do filho do vice-presidente, uma semana depois da posse do novo governo, não foi apenas inadequada ou extemporânea. Ela fere princípios que devem orientar a administração pública. Diante da indignação popular com a nomeação, o governo deveria voltar atrás. Sem isso, não nos resta alternativa senão provocar a Comissão de Ética Pública da Presidência da República”, afirma Juliano Medeiros, presidente do PSOL, pela assessoria de imprensa.

A indicação do filho Mourão causou polêmica no governo Jair Bolsonaro (PSL). O vice-presidente defendeu que a promoção do filho foi por mérito. “Não é por ser meu filho, mas ele é um profissional extremamente qualificado. Se eu pudesse, o teria aqui na minha equipe. Não tive nada a ver com isso, o presidente do banco o conheceu em uma apresentação e o convidou para ser assessor”, afirmou em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.

O filho do vice-presidente é formado em administração de empresas e tem pós-graduações em agronegócios e em desenvolvimento sustentável. Ele é funcionário de carreira do Banco do Brasil, com 19 anos de experiência na instituição, e estava havia 11 anos na Diretoria de Agronegócios. Com a posse da nova gestão, na segunda-feira (7), foi promovido e vai trabalhar em contato direto com o presidente da instituição, Rubem Novaes.


FECHAR