publicidade
11/10/18
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Ministério Público investiga startup que criou o jogo Bolsomito 2k18

11 / out
Publicado por Amanda Miranda em Eleições 2018 às 7:01

Agência Brasil – O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) abriu inquérito civil público para investigar a BS Studios, startup que desenvolveu jogo Bolsomito 2k18 em que o jogador ganha pontos ao matar minorias. O game está sendo comercializado pelo Steam, plataforma digital de distribuição de videogames. O MPDFT anunciou a investigação nesta quarta-feira (10).

De acordo com o MPDFT, o jogo possui “clara intenção de prejudicar candidato à Presidência da República e com isso embaraçar as eleições 2018” e causa danos morais coletivos aos movimentos sociais, gays e feministas.

LEIA TAMBÉM
» Kátia Abreu sugere que Haddad renuncie e Ciro o substitua contra Bolsonaro
» Como Paulo Câmara, Bolsonaro diz que vai criar o ’13º do Bolsa Família’
» Bolsonaro tem 58% dos votos válidos na Datafolha; Haddad, 42%

No game, o usuário assume a identidade do personagem Bolsomito, nome como é tratado o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) pelos seguidores. O jogador ganha pontos ao matar feministas, gays, negros e integrantes de movimentos sem-terra. O game foi lançado em 5 de outubro, dois dias antes do primeiro turno.

A Valve Corporation, responsável pela Steam, será notificada para que cesse a disponibilização do jogo Bolsomito 2k18 em sua plataforma de games, bem como informe os dados cadastrais dos responsáveis pelo jogo. Além disso, o Centro de Produção, Análise, Difusão e Segurança da Informação do MPDFT também vai trabalhar para identificar e qualificar os responsáveis pela BS Studios.

Na plataforma da Steam, o jogo é apresentado como “uma briga com muitas sátiras e mecânicas que tornam o jogo único”.”Desenvolvido em pixel art, Bolsomito 2k18 lhes apresentará diversos cenários únicos do Brasil, além de contar também com uma variedade grande de veículos e referências nacionais que vão desde inimigos até simpatizantes da luta contra o comunismo”, diz o texto.


FECHAR