publicidade
09/10/18
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

PSL vai reivindicar a Presidência da Câmara dos Deputados, diz Bivar

09 / out
Publicado por Douglas Fernandes em Eleições 2018 às 20:18

Com a eleição da segunda maior bancada na Câmara dos Deputados e a possibilidade de eleger o presidente da República, o PSL mira agora o comando da Casa hoje comandada pelo deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ). Foi o que disse, em entrevista ao Resenha Política nesta terça-feira (9), o fundador e presidente nacional licenciado da sigla Luciano Bivar. Apesar de dizer que é “cedo” para tratar da sucessão na Câmara, Bivar afirma que com uma eventual vitória do deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) a sigla “vai reivindicar” o cargo a partir de 2019.

“É tradição na Casa de que o partido que ganha a eleição, que está no poder indique o presidente da Casa. Eu não tenho dúvida que nós vamos ganhar essa eleição no dia 28 de outubro. E o PSL, claro que vai reivindicar para ele a Presidência da Câmara. Mas isso é uma coisa que só vamos discutir no dia 28 de outubro. Não é o momento agora. O foco agora é a eleição do Bolsonaro”, disse Luciano Bivar.

LEIA TAMBÉM
» Por que Haddad venceu Bolsonaro no NE, mas não nas capitais?
» Com Fernando Haddad, PT volta a vencer em Pernambuco
» Rifada pelo PT, Marília Arraes é petista mais votada e leva partido de volta à Câmara em PE
» Dizendo-se ‘filho da esperança’, João Campos é o mais votado em Pernambuco
» No mesmo palanque, Humberto e Jarbas são eleitos para o Senado
» Ex-ministros de Temer são derrotados para o Senado em PE

Tratar de eleição para a Câmara é novo para o PSL – sigla fundada em 1998 – e para o próprio Bivar. No ano de fundação da legenda, ele foi eleito deputado federal pela primeira vez. Suplente nas eleições de 2014, só voltou a um mandato na Casa depois que o deputado federal Kaio Maniçoba (PHS) assumiu a Secretaria de Habitação do governador Paulo Câmara (PSB). Foi mais de uma década fora da Câmara. Nesse período, disputou a Presidência da República nas eleições 2006. Acabou em último. Nesse domingo (7), Bivar foi eleito com 117.943 mil votos, sendo o sétimo mais votado no Estado.

Nas eleições de 2014, o PSL elegeu apenas um deputado. Após a entrada de Jair Bolsonaro no partido, a sigla saltou para oito deputados que migraram na janela partidária. No domingo (7), elegeu 52 deputados, ficando atrás apenas do PT no número de parlamentares, que conseguiu 56. Mas, Bivar já garante que o PSL conseguirá superar o PT e assumir o posto de maior bancada.

“A partir de 1º de janeiro, eu posso te garantir que o PSL vai ser o partido que vai ter a maior bancada em números absolutos”, afirmou.

Na entrevista ao Resenha Política, Bivar foi questionado se irá reassumir a Presidência nacional do PSL, comandada hoje pelo advogado e um dos principais assessores de Bolsonaro Gustavo Bebiano. O deputado federal eleito disse que não está nos seus planos o retorno e elogiou o desempenho de Bebiano à frente da sigla. Ele ressaltou que não tinha tempo para as questões burocráticas do partido e por isso deixou o PSL nas mãos do atual presidente.

“Bolsonaro precisava ter um presidente que estivesse ali junto dele para fazer as negociações e ter as conversas todas e eu não tinha tempo e espaço. Estava ainda com grandes compromissos fora do país”, lembrou. “Essa foi a razão do Bebiano ser (presidente do partido) e ele tem ele tem dirigido o partido muito bem, com muita responsabilidade. Eu não pretendo voltar (à presidência do partido).

Perguntado sobre a possibilidade de assumir um ministério caso Bolsonaro seja eleito, o fundador do PSL deixou aberta a possibilidade. “Não sei. Realmente, a gente não definiu. Acho que tudo vai acontecer depois do dia 28”, afirmou.

Confira a entrevista na íntegra


FECHAR