publicidade
07/10/18
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

Dizendo-se ‘filho da esperança’, João Campos é o mais votado em Pernambuco

07 / out
Publicado por Amanda Miranda em Eleições 2018 às 21:50

Aos 24 anos, João Campos foi eleito neste domingo (7) deputado federal pelo PSB de Pernambuco com 446.278 votos no momento em que 99,69% das urnas haviam sido apuradas, o maior número para a Câmara dos Deputados no Estado, superando inclusive a votação obtida pela avó, a ministra do Tribunal de Contas da União Ana Arraes em 2010, de 387.581. 

Na campanha, João adotou o mote de “filho da esperança”, para fazer a relação com o pai, o ex-governador Eduardo Campos, quatro anos após a morte dele. Herdou o espólio político e o número na urna que foi usado por Eduardo; pela avô, Ana Arraes; e pelo bisavô, o também ex-governador Miguel Arraes, todos do PSB.

Depois de acompanhar o pai em atos políticos desde criança, João Campos chegou a ser cogitado para entrar na vida pública em 2014, quando Eduardo foi candidato a presidente. Ele não tinha concluído o curso de engenharia civil e a mãe, Renata Campos, se opôs. Foi o único ano desde 1990 que a família de Arraes não teve um integrante disputando – e garantindo entre os primeiros lugares – uma cadeira na Câmara.

Ana Arraes foi a deputada federal mais votada em 2010, com 387.581 votos. O resultado foi 20 anos depois que o pai dela, o ex-governador Miguel Arraes, obteve o mesmo resultado, chegando à Câmara com 339.158 votos. Antes de ser a mais votada em 2010, Ana Arraes havia ficado em terceiro lugar em 2006, com 178.467 votos, atrás dos 205.212 votos de Armando Monteiro Neto e dos 181.126 de Inocêncio Oliveira; Miguel Arraes em quarto em 2002, com 181.235 votos, menos que os 211.864 de Cadoca, os 204.768 de Roberto Magalhães e os 196.474 de Inocêncio Oliveira. Eduardo Campos foi o mais votado em 1998, com 173.657, e o segundo em 1994, com 133.347.

Sem a candidatura em 2014, João Campos assumiu no mesmo ano o cargo de Secretário de Organização do PSB. Antes, havia tentado entrar na vida partidária comandando a Juventude do partido, mas encontrou resistência na prima Marília Arraes, que, por causa dos conflitos com os socialistas, hoje está no PT e disputou o mesmo cargo, sendo eleita com 189.622 votos no momento em que 99,69% das urnas haviam sido apuradas. Este ano, os dois evitaram comentar a questão familiar. Marília tentou se candidatar ao governo de Pernambuco, mas foi rifada por causa da aliança entre PSB e PT.

Em 2016, João Campos assumiu o cargo de chefe de gabinete do governador Paulo Câmara (PSB), afilhado político de Eduardo, para começar na articulação política. Deixou o cargo em abril, como exigia a legislação eleitoral, para se candidatar.

João Campos usou a imagem do pai nos jingles e em outros materiais de campanha. Eduardo Campos apareceu, por exemplo, nos stories do Instagram, ferramenta em que publicou vídeos repetindo discursos do líder socialista. O próprio João fez os primeiros discursos em 2014, após a morte do pai, acompanhando as campanhas do PSB em Pernambuco.


FECHAR