publicidade
19/09/18
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem

Julio Lossio promete pagar gás de cozinha como item da cesta básica para famílias humildes

19 / set
Publicado por jamildo em Notícias às 16:16

O candidato da Rede, Júlio Lossio, aproveitou evento em que recebeu apoio de aliados de Bolsonaro no Estado para prometer pagar o gás de cozinha das famílias mais carentes, no meio da cesta básica. O custo da promessa não foi explicado.

É mais uma promessa para as camadas menos favorecidas que surge nesta eleição. O governador Paulo Câmara disse na rádio Jornal que iria criar um 13º para o Bolsa Família. Depois foi copiado pelo candidato do PTB Armando Monteiro Neto, com a mesma promessa do 13º salário.

“O gás de cozinha não faz parte da cesta básica no Brasil e poderia diminuir a carga dos mais pobres. Nos nossos salários, Gilson Machado Neto, não faz diferença, mas para quem ganha salário mínimo é muita coisa. É 10% de quem ganha um salário mínimo. A carga tributária no Brasil incide sobre os mais pobres. Devia ser feito a igreja, que tem só um imposto, o dízimo”, afirmou, sempre usando analogias.

No evento, Lossio criticou por mais de uma vez o governador Paulo Câmara.

“O problema é que Paulo Câmara só sabe cobrar. Não estimula o desenvolvimento. Ele tem uma visão tributarista, sem visão empreendedora. A Tupan está indo para o Maranhão”, comentou.

Outra promessa feita por Julio Lossio foi para o campo. Ele prometeu comprar energia solar de pequenos produtores rurais.

“O projeto roça solar vai fazer com que as pessoas do campo tenham renda, recebam cerca de R$ 500 por mês, ao produzirem para o Estado. Hoje se gasta só com a Compesa R$ 15 milhões de energia com a conta de luz. Quem ganha é a Iberdrola, controladora da Celpe. A gente poderia estar comprando”, disse. Lossio disse que com 30 mil daria para comprar e montar um projeto com 25 placas.

“A promessa de Paulo Câmara, de dar um 13º salário para bolsa família, quer que as pessoas fiquem sempre miseráveis”, comparou, em uma deterninada crítica.


FECHAR