publicidade
01/08/18
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem

Marília Arraes diz que candidatura sofre ‘ataque especulativo’

01 / ago
Publicado por Amanda Miranda em Eleições 2018 às 16:15

Após acordo nacional entre PT e PSB avaliado em reunião da executiva petista em Brasília, esta tarde, a vereadora do Recife Marília Arraes, rifada pelo partido em Pernambuco por causa da aliança, negou que a candidatura ao governo do Estado tenha sido retirada. Em vídeo divulgado na tarde desta quarta-feira (1º), Marília afirmou que sua postulação é alvo de um “ataque especulativo”. Na gravação, ela não cita os adversários.

“Nós últimos meses, nós enfrentamos uma série de ataques especulativos contra nossa candidatura, de que não haveria candidatura, de que o PT de Pernambuco seria usado como moeda de troca e isso não é verdade”, disse.

LEIA TAMBÉM
» PT fecha acordo com PSB e Ciro Gomes sofre mais um revés
» Marília Arraes rifada da disputa em Pernambuco. Executiva Nacional do PT aceita aliança com PSB de Paulo Câmara
» Marília Arraes diz que candidatura sofre ‘ataque especulativo’
» PT em Pernambuco confirma encontro para definir rumos para 2018

“Esse é mais um grande ataque especulativo para desmobilizar a nossa militância, a base de delegados, que amanhã vai decidir se o PT de Pernambuco tem candidatura própria ou vai à aliança. Estão dizendo que já está batido o martelo, que já houve negociação de gabinete, que a executiva nacional do PT vai enquadrar Pernambuco, vai recomendar que Pernambuco tenha aliança. Nada disso é verdade, nós estamos firmes, não vamos deixar que a esperança de Pernambuco seja usada como moeda de troca”.

Veja o vídeo divulgado por Marília Arraes

A Executiva Nacional do PT está reunida em Brasília e depois do encontro deve anunciar a forma do acordo com o PSB. O objetivo dos petistas é de que os socialistas adotem uma posição de neutralidade no cenário nacional e não entreguem o tempo de televisão a Ciro Gomes, presidenciável do PDT, que, com isso, sofre um revés.

O acordo inclui a retirada da candidatura de Marília Arraes, para que os petistas apoiem a campanha à reeleição do governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB). O senador petista Humberto Costa, hoje líder da oposição, também deve disputar reeleição na chapa.

“Com esse gesto do PT, não vai ter nenhuma disputa no domingo. Posso garantir que vamos optar pela neutralidade”, disse o deputado Julio Delgado (PSB-MG), ao Estadão Conteúdo. O PSB marcou sua convenção nacional para domingo, dia 5, para decidir sua posição nas eleições de 2018. O presidente nacional do partido, Carlos Siqueira, afirmou à agência de notícias que, apesar das tratativas, a decisão só será nesse dia.


FECHAR