publicidade
01/08/18
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

Marília Arraes critica PSB e espera recurso ao diretório nacional

01 / ago
Publicado por Amanda Miranda em Eleições 2018 às 22:42

A esperança dos aliados de Marília Arraes, que teve a candidatura rifada pela Executiva Nacional do PT nesta quarta-feira (1º), está no diretório nacional do partido. Um grupo dez petistas, incluindo o pernambucano Múcio Magalhães, decidiu apresentar um recurso contra a decisão da executiva de apoiar a reeleição do governador Paulo Câmara (PSB) em Pernambuco.

“É um esforço feito dentro de gabinetes, que não tem dialogo com a base, com a militância”, reclamou Marília Arraes em coletiva de imprensa esta noite.

No texto do recurso, os petistas afirmam que “o resultado concreto das negociações com o PSB resultaram no ‘não apoio’ formal e nacional, e portanto não está dentro do que pode ser considerado dentro dos interesses partidários para vencer as eleições 2018”.

O argumento também foi usado por Marília Arraes. “O que aconteceu e que já foi algo anunciado é que o núcleo político que está aí, o governador Paulo Câmara e sua entourage, não têm força política para levar o PSB a apoiar o PT”, afirmou.

LEIA TAMBÉM
» Executiva do PT confirma apoio a Paulo Câmara e retirada de Marília Arraes
» Após acordo entre PT e PSB, Marília Arraes diz que não sobe no palanque de Paulo Câmara
» Tarso Genro pede a ‘Deus’ e às ‘forças do além’ para entender aliança entre PT e PSB

“A candidatura tomou um corpo grande e assustou muito os nossos adversários, que hoje estão tentando se manter a todo custo no poder e fazem todo tipo de manobra para tentar evitar que a gente tenha essa candidatura, que é uma candidatura hoje que o Estado todo sabe que ganha a eleição”, disse ainda.

» PT mantém encontro em Pernambuco, mas sugere voto concordando com decisão nacional

A executiva nacional do PT decidiu, por 17 votos a oito, apoiar a reeleição do governador de Pernambuco Paulo Câmara, fechando aliança com o PSB. Apesar disso, os socialistas não integram oficialmente a chapa petista nacionalmente, condição que era colocada antes.

Com a proximidade das convenções e a possibilidade de o PSB marchar com Ciro Gomes, presidenciável do PDT, no entanto, o PT decidiu ceder. A expectativa é de que no próximo domingo (5), na convenção nacional do partido, seja decidido pela neutralidade dos socialistas, liberando os estados.

Haverá acordos entre PT e PSB na Paraíba, no Amapá e no Amazonas, além de Pernambuco.

Reuniões nacionais

De acordo com a deputada estadual Teresa Leitão (PT), que integra o diretório nacional, haverá uma reunião na próxima sexta-feira (3). Além dela, vão ao encontro Sheila Oliveira, secretária de Comunicação em Pernambuco, e Vivian Farias, dirigente partidária.

As três também participam nesta quinta-feira (2) do encontro de delegados de Pernambuco, em que 300 petistas vão votar entre a candidatura própria ou a aliança. Mais cedo, a executiva estadual orientou, em nota, a seguir a decisão da executiva nacional, ou seja, votar pelo apoio a Paulo Câmara.

No sábado (4), haverá um encontro nacional do PT. O partido tem até o domingo (5) para decidir, prazo final para a realização de convenções e data dos encontros do PSB nacionalmente e em Pernambuco.

» Marília Arraes diz que candidatura sofre ‘ataque especulativo’
» PT fecha acordo com PSB e Ciro Gomes sofre mais um revés
» Marília Arraes rifada da disputa em Pernambuco. Executiva Nacional do PT aceita aliança com PSB de Paulo Câmara

Antes da coletiva de imprensa, entrevistada durante a eleição da presidência da Assembleia Legislativa, Teresa Leitão havia adotado um discurso crítico à negociação da aliança.

“A condução foi péssima, não respeitou nenhum processo de debate. Teve veto, esconde-esconde de deliberação, isso tudo contribui para você não acatar. Já está rachado o partido e a condução não foi de busca da unidade, foi de ter vitórias e derrotas”, afirmou. “O impacto é o acirramento interno, é a militância pedindo desfiliação”.

 


FECHAR