publicidade
21/06/18
Eduardo da Fonte (Foto: Billy Boss/Câmara dos Deputados)
Eduardo da Fonte (Foto: Billy Boss/Câmara dos Deputados)

Quem está barganhando é ele, diz Eduardo da Fonte após indireta de Ferreira

21 / jun
Publicado por Amanda Miranda em Eleições 2018 às 20:42

A saída do PSC do deputado estadual André da Fonte da base aliada do governador Paulo Câmara (PSB) foi um dia depois de o socialista oficializar a “dança das cadeiras” no primeiro escalão para acomodar o PP. “Não concordamos com a prática do poder pelo poder e nem aceitamos um governo que seja refém da barganha”, alfinetou Ferreira na nota em que anunciou o rompimento com o Palácio do Campo das Princesas. O deputado federal Eduardo da Fonte, presidente estadual do PP, reagiu à indireta.

“Quem está barganhando é ele uma vaga na chapa majoritária. Em nenhum momento o PP colocou imposição nenhuma”, afirmou o pepista.

LEIA TAMBÉM
» Com troca para agradar PP, MDB perde Desenvolvimento Econômico e ganha Planejamento
» Mesmo com secretaria e portos, PP quer vaga na majoritária de Paulo
» Indicados do PP para Desenvolvimento Econômico e portos têm reunião no Palácio
» Após saída dos Ferreira, Paulo diz que não vai escolher chapa agora
» Sebastião Oliveira diz que Ferreiras não eram aliados ‘raiz’, mas por conveniência
» Vamos construir com os Ferreira a chapa majoritária, diz Armando
» Não faz parte da nossa história aceitar esse tipo de imposição, diz PSB
» Clã Ferreira deixa a base do governador Paulo Câmara

Legenda com a maior bancada na Assembleia Legislativa, com 14 deputados, o partido de Eduardo da Fonte ganhou a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e o Porto de Suape. Nos bastidores, comenta-se que os cargos foram entregues para agradar o partido e evitar rachas por causa da reivindicação por um espaço na majoritária de Paulo Câmara.

Para Eduardo da Fonte, a saída foi precipitada. “Foi uma opção dele de buscar a alternativa da garantia de estar na chapa”, disse, em referência à ida de André Ferreira para o grupo de oposição intitulado Pernambuco Vai Mudar. “Foi uma decisão precipitada”, avaliou. “Principalmente a forma com que ele saiu tratando a Frente Popular. Não foi elegante. A Frente Popular sempre tratou ele com respeito e elegância”, criticou.


FECHAR