publicidade
09/06/18
Foto: Heudes Regis/JC Imagem
Foto: Heudes Regis/JC Imagem

Lava Jato denuncia seis por propinas de R$ 9,6 milhões na Abreu e Lima

09 / jun
Publicado por Amanda Miranda em Instant Articles às 12:10

Estadão Conteúdo – A força-tarefa da Lava Jato ofereceu denúncia contra seis pessoas por propinas de R$ 9,6 milhões na construção de casa de força da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Entre os denunciados está Sérgio Bocaletti, que foi preso na 51ª fase da operação, deflagrada em maio. Ele é apontado como operador de desvios em contratos da estatal.

Segundo a denúncia, executivos da Alusa, contratada para obras na Abreu e Lima, pagaram propinas ao ex-diretor da Petrobras Pedro Barusco e ao ex-gerente Glauco Colepicolo. O valor de R$ 9,6 milhões era referente a 1% do contrato com a petrolífera.

LEIA TAMBÉM
» STF retira delação sobre Refinaria Abreu e Lima de Moro e manda para PE
» Petrobras quer vender parte da Refinaria Abreu e Lima
» Superfaturamento nas tubovias da Refinaria Abreu e Lima ultrapassa R$ 960 milhões, diz TCU
» Petrobras vai retomar obras da Refinaria Abreu e Lima, envolvida na Lava Jato
» Retomada das obras na refinaria também ajuda a elevar movimentação de cargas em Suape, diz presidente
» Lula diz a Moro que não participou do plano de construção da Refinaria Abreu e Lima

Bocaletti e outro denunciado, Luís Eduardo Campos Barbosa, são acusados de ajudarem a ocultar propinas aos ex-agentes públicos (lavagem de dinheiro).

A força-tarefa denunciou os ex-diretores da Alusa, Mário de Andrade (corrupção ativa), José Lázaro (corrupção ativa e lavagem de dinheiro), César Godoy (corrupção ativa e lavagem de dinheiro) pelas propinas pagas aos ex-diretores da estatal e ainda acusou o ex-executivo da Odebrecht, Rogério Araújo, por lavagem de dinheiro.

Defesas

A reportagem está tentando contato com os acusados. O espaço está aberto para manifestação.


FECHAR