publicidade
02/06/18
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem

João Campos critica venda da Chesf, mas diz que ‘cabe discussão’ na Eletrobras

02 / jun
Publicado por Amanda Miranda em Instant Articles às 19:58

O pré-candidato a deputado federal em Pernambuco João Campos (PSB), filho do ex-governador Eduardo Campos, reclamou, durante entrevista ao programa 20 Minutos, da TV Jornal, da proposta de privatização da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), proposta pelo governo Michel Temer (MDB). Apesar disso, avaliou que sobre a privatização da Eletrobras “cabe discussão”. A venda das empresas é alvo de críticas de socialistas na Câmara dos Deputados.

“No fim da conta, compra a água. A gente não pode permitir isso sabendo que a matriz energética vai mudar. A gente não pode entregar na mão do privado isso, o rio São Francisco pertence ao povo nordestino”, afirmou João Campos, que foi entrevistado pelo cientista político Antonio Lavareda.

“Tem que ser discutido, a privatização cabe discussão, mas sobre a Chesf não cabe discussão. Não tem como avançar esse debate com o rio São Francisco no meio disso”.

A proposta de privatização foi apresentada no ano passado por Fernando Filho, ex-ministro de Minas e Energia que era do PSB e hoje está no DEM. O pai dele, o senador Fernando Bezerra Coelho, deixou o partido de João Campos e passou a brigar pelo comando do MDB local, para levar a legenda, que hoje integra a base, para a oposição ao governador Paulo Câmara (PSB).

Ao justificar a possibilidade da retomada da aliança entre PT e PSB, João Campos criticou Temer.

“Como a gente tem visto hoje o Brasil sendo governado por um presidente que não tem nenhuma sensibilidade social, nenhuma sensibilidade com o Nordeste,que toca a construção do país deixando muita gente à margem das entregas que tanto precisam ser feitas à população, é natural as forças que são contra o governo Temer se juntarem para construir um projeto”, afirmou.

Socialistas têm atribuído ao grupo de oposição Pernambuco Quer Mudar a pecha de “palanque de Temer”. Veja a íntegra do programa:


FECHAR