publicidade
18/05/18
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem

Humberto diz ter ‘número expressivo’ no PT a favor de aliança com PSB

18 / maio
Publicado por Amanda Miranda em Instant Articles às 15:53

Com informações de Paulo Veras, do JC

Favorável à aliança entre PT e PSB em Pernambuco, o senador petista Humberto Costa evitou falar em intervenção da executiva nacional no processo eleitoral do Estado, ao deixar o encontro de governadores do Nordeste e de Minas Gerais, realizado no Palácio do Campo das Princesas nesta sexta-feira (18). “Se eventualmente vier uma recomendação nacional, logicamente vamos levar em consideração, mas a decisão local é soberana. Hoje, nós já temos um número expressivo de delegados que votam pela aliança e acredito que teremos maioria no dia 10, se Deus quiser”, afirmou o parlamentar.

Em 2012, Humberto Costa foi candidato a prefeito do Recife no lugar do então gestor, João da Costa (PT), que tentou disputar reeleição e foi impedido pela nacional.

LEIA TAMBÉM
» Fernando Pimentel diz que a decisão do casamento PT e PSB ficará com diretórios estaduais
» Carlos Siqueira e Gleisi Hoffmann fazem reunião para ‘rifar’ candidatura de Marília em Pernambuco
» Humberto nomeia assessor de Marília para gabinete e acirra briga no PT
» Aliados de Marília Arraes usam redes sociais para criticar Humberto
» Em reação a Humberto, Silvio leva Marília à Câmara para defendê-la
» No Senado, Humberto Costa defende aliança do PT com Paulo Câmara

Em Pernambuco, o PT marcou uma reunião para o dia 10 de junho para definir se retomará a aliança com o PSB ou terá candidatura própria.

“O que eu posso dizer é que as conversas entre PT e PSB têm avançado, assim como as nossas conversas com o PCdoB, e no momento adequado o grupo de trabalho eleitoral, o GTE, vai produzir um posicionamento e transmitir a cada estado”, disse. “Mas a decisão sobre isso será no dia 10, nessa reunião que vamos fazer com os delegados. A decisão será pernambucana”.

Questionado sobre a sinalização dada pelo ex-presidente Lula (PT) pela aliança, afirmou: “se essa sinalização realmente acontecer, é uma ajuda. Não tenha dúvida, é uma sinalização de que o tema das eleições não é um tema somente dos estados, é nacional e vale para todos os estados. Então ajuda, mas não define”. Após visitar o líder petista na prisão, em Curitiba, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, responsável pelo programa de governo do partido, afirmou que Lula pediu que ele incorporasse exemplos de governadores como Paulo Câmara (PSB).


FECHAR