publicidade
16/04/18
Foto: Reprodução Facebook/Guilherme Boulos
Foto: Reprodução Facebook/Guilherme Boulos

Integrantes do MTST invadem tríplex do Guarujá atribuído a Lula

16 / abr
Publicado por Douglas Fernandes em Instant Articles às 10:00

Com informações do Estadão

Pivô da condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o tríplex do Guarujá, no litoral de São Paulo, foi invadido por integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e da Frente Povo Sem Medo na manhã desta segunda-feira (16).

O pré-candidato à Presidência da República Guilherme Boulos (PSOL), coordenador do MTST, disse, em entrevista à colunista Mônica Bergamo da Folha de São Paulo, que “se o tríplex é dele (Lula), então o povo está autorizado a ficar lá”. Os manifestantes estão no prédio desde das 9h da manhã.

Leilão

O triplex do Guarujá vai a leilão no dia 15 de maio, às 14h. O imóvel foi avaliado pela Justiça em R$ 2,2 milhões.

“Certifico que após contato com o Leiloeiro, foram fixados os dias 15 de maio de 2018, às 14 horas, para a realização do primeiro leilão/praça; e o dia 22 de maio de 2018, às 14 horas, para a realização do segundo leilão/praça”, informa certidão anexada aos autos da Operação Lava Jato.

O apartamento e suas reformas, supostamente custeadas pela OAS, foram apontadas pelo juiz Sérgio Moro e pelos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) como propinas de R$ 2,2 milhões da empreiteira ao ex-presidente.

LEIA TAMBÉM
» Fachin manda denúncia contra Lula e Dilma para primeira instância
» Renan defende liberdade de Lula, critica STF e diz que ‘Michel encolheu’
» Por unanimidade, STJ diz que Lula não tem direito a habeas corpus preventivo e pode ser preso após condenação em 2ª instancia
» Lula sugere que MPF coage Palocci e escreve delação

Lula foi condenado por Moro a 9 anos e seis meses de prisão. No TRF-4, o Tribunal da Lava Jato, o ex-presidente teve sua pena agravada, para 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

Laudo da Justiça, emitido em fevereiro, apontou que o imóvel tem uma área privativa de 215,2 m² e uma área comum de 82,692m².

“No primeiro pavimento há uma sala com varanda, cozinha e área de serviço, lavabo e uma suíte (conforme informações da sra. Mariuza, da empresa OAS, a suíte não existia na planta original, havendo modificação para inclusão deste dormitório)”, aponta o relatório.

“No segundo pavimento existem três quartos compactos (sendo um deles suíte), um banheiro e um hall de distribuição. Já no terceiro pavimento, além de uma sala, fica a parte externa do imóvel, com área de churrasqueira e piscina.”

» No palanque de DEM e PSDB, Armando apoia Lula, mas não alternativa a ele
» Bolsonaro lidera cenários sem Lula no 1º turno, diz pesquisa CNT/MDA
» Sem Lula, 54,2% não votariam em indicado por ele, aponta CNT/MDA
» Procuradoria pede prisão de Lula após julgamento de recurso

Segundo o laudo, o triplex tem “piso frio em todos os cômodos e armários planejados nos quartos, cozinha, área de serviço, área externa e banheiros”. A oficial de Justiça indicou que havia no local “um fogão, um exaustor e uma geladeira, sem uso e desligados”.

“Existe um elevador que integra os três andares, sendo que não foi possível verificar seu funcionamento visto que a luz da unidade não está ligada. Imóvel e móveis (armários e camas) em bom estado de conservação, com exceção dos móveis da área externa (coifa e armários), que apresentam sinais de desgaste e ferrugem”, relatou a oficial de Justiça.

O relatório diz, ainda, que o triplex tem “localização privilegiada, em frente da praia, no bairro Jardim Astúrias”.


FECHAR