publicidade
26/03/18

Após Isabella de Roldão acusar Paulo Câmara de ‘perseguição’, governo nomeia marido dela no Prorural

26 / mar
Publicado por jamildo em Notícias às 15:00

Sem alarde, aparentemente mais uma “reconciliação” política ocorre no Estado, visando às eleições de 2018 (aguarda-se, ainda, a reconciliação do PT com o PSB).

De acordo com fontes da área política governamental, o governador Paulo Câmara (PSB) nomeou o marido da ex-vereadora Isabella de Roldão (PDT) para o cargo de diretor-geral do PRORURAL, um dos mais “cobiçados” por políticos do Estado, devido à grande inserção pelo interior.

“A nomeação feita por Paulo Câmara é mais uma para o apoio do PDT ao seu projeto de reeleição”, revela uma fonte, insatisfeita com o “monopólio” do PDT na importante Secretaria Estadual de Agricultura.

“Seria apenas mais uma nomeação em troca de “apoio” político, se não fossem as duras acusações e críticas já feitas por Isabella contra as pessoas do governador Paulo Câmara e do prefeito Geraldo Júlio (PSB)”, observa-se, nos bastidores.

Histórico de críticas

Em março de 2015, Isabella reproduziu em sua rede social duras críticas da sua mãe contra a pessoa de Paulo Câmara, por ele ter exonerado todos os comissionados da ARPE, onde o pai da ex-vereadora era presidente.

Segundo a postagem de Isabella à época, era uma “retaliação” de Paulo Câmara ao fato de Roldão Joaquim, pai da ex-vereadora, não ter apoiado a campanha do governador.

A ex-vereadora e seu pai Roldão Joaquim apoiaram Armando Monteiro para governador, em 2014, contra Paulo Câmara.

Já em abril de 2015, Isabella acusou o prefeito Geraldo Júlio de “ditadura”, ao ser retirada de uma comissão de educação, quando ainda era vereadora.

“Parece uma ditadura. Ninguém pode falar, que é perseguido. Mas eu não vou me calar”, disse a então vereadora, após o governo municipal lhe retirar de uma comissão de educação.

Na ocasião, o então líder do governo de Geraldo Júlio, vereador Gilberto Alves, respondeu às críticas de Isabella a pessoa do prefeito, dizendo que o mandato dela era “atrabalhoado” e que Isabella era “mentirosa”.

Marido

Com a aparente reconciliação, Paulo Câmara nomeou o engenheiro Fábio Fiorenzano, marido de Isabella.

Em junho de 2016, o engenheiro foi denunciado no TCE por irregularidades em uma obra em São Joaquim do Monte, reduto eleitoral do sogro, Roldão Joaquim (PDT), ex-conselheiro do próprio TCE.

“Identificados como responsáveis pelo superfaturamento acima descrito, os Srs. Fábio Fiorenzano de Albuquerque, engenheiro que elaborou o projeto, o orçamento estimativo e os boletins de medição”, disse o relator da denúncia, conselheiro Marcos Nóbrega, em seu voto sobre a obra.

Na época, o engenheiro Fábio Fiorenzano de Albuquerque afirmou ao Blog de Jamildo que considerou “estranho” o resultado do julgamento do TCE e negou todas as irregularidades.

Paulo Câmara escolheu Fábio Fiorenzano para tocar o PRORURAL. O Programa Estadual de Apoio ao Pequeno Produtor Rural (ProRural) é um programa de fomento, vinculado à Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária de Pernambuco (SARA), que tem como objetivo maior estimular o desenvolvimento sustentável no meio rural pernambucano.

Porteira fechada

A nomeação é mais uma decorrente da “porteira fechada” concedida por Paulo Câmara ao PDT, na cobiçada Secretaria de Agricultura.

Além da nomeação do marido de uma das suas principais críticas, Paulo Câmara já fez outras nomeações “inusitadas” dentro da cota do PDT, como a do namorado da apresentadora Fátima Bernardes, o “digital influencer” Túlio Gadelha.

A celebridade do Instagram foi exonerada, após deputados da Frente Popular pedirem “a cabeça” de Túlio, por estar supostamente “aparecendo demais” nas bases dos deputados.

O objetivo destas nomeações é o apoio do PDT ao palanque de reeleição, já “garantido” pelo presidente nacional do partido, Carlos Lupi, em visita ao Palácio do Campo das Princesas.

A nomeação do marido de Isabella, indicam fontes sob reserva, também sinaliza para a candidatura dela a deputada em 2018.


FECHAR