publicidade
13/03/18
Foto: Arquivo/JC Imagem
Foto: Arquivo/JC Imagem

Políticos lamentam morte de Dorany Sampaio

13 / mar
Publicado por Amanda Miranda em Notícias às 13:19

O advogado Dorany Sampaio, ex-presidente do MDB de Pernambuco por 27 anos, morreu na manhã desta terça-feira (13) aos 91 anos. Políticos do Estado lamentaram a morte dele. Sampaio teve os direitos cassados durante a ditadura militar e, nas décadas de 1990 e 2000, foi secretário dos governos Jarbas Vasconcelos.

O emedebista foi um dos que fizeram homenagens à trajetória política dele.

LEIA TAMBÉM
» Ex-presidente do MDB estadual, Dorany Sampaio morre aos 91 anos

“A perda de Dorany Sampaio deixa uma lacuna muito grande na política pernambucana e na do País. Dorany exerceu um papel relevante no período da ditadura e ao longo dos anos seguintes. Foi uma liderança dentro do MDB que sempre soube ouvir e conduzir de forma ampla e democrática o partido. Sua atuação e sua voz sempre foram de destaque e servia de inspiração para todos nós, não só para os que militavam e militam no MDB mas os que fazem política por convicção e por vontade de tornar esse país um lugar mais justo e digno para todas. Pra mim o sentimento é de grande perda porque foi embora também um amigo. Um amigo que era um pai de família exemplar”, afirma Jarbas.

“Foi com grande pesar e tristeza que recebemos a notícia da partida do nosso ex-presidente Dorany Sampaio, hoje pela manhã. Dorany foi um homem que viveu a vida em toda a sua plenitude. Foi um advogado respeitado, presidente da OAB. Na militância política, enfrentou a ditadura militar com absoluta coragem e integridade. No período democrático, liderou o PMDB-PE por muitos anos, pela capacidade que tinha de dialogar e de construir convergências.  Foi também um homem de muitos amigos e um exemplar pai de família. Sua partida deixa enorme lacuna em todos nós do PMDB-PE, que tivemos o privilégio de ter com ele uma longa convivência. Nossa solidariedade à família, neste momento de dor e saudade”, disse o atual presidente do MDB, Raul Henry, em nota.

O governador Paulo Câmara (PSB) também se manifestou. “Dorany Sampaio teve uma história de vida ligada à luta democrática, de combate ao autoritarismo. No retorno à normalidade democrática, ocupou importantes funções públicas. Quero expressar os meus sentimentos e a minha solidariedade aos seus familiares e amigos”, disse.

“Pernambuco acorda de luto com a notícia do falecimento de Dorany Sampaio. Um democrata e humanista que foi cassado pela ditadura militar por não abrir mão desses ideais. Referência na política pernambucana e especialmente no MDB, partido que conduziu por 27 anos, quando sobressaiu sua capacidade de diálogo e articulação. Perda muito grande para Pernambuco e para o Brasil. Quero enviar meus sentimentos aos amigos e familiares de Dorany”, afirmou o prefeito do Recife, Geraldo Julio.

“O Partido Socialista Brasileiro em Pernambuco lamenta a morte do advogado e ex-deputado estadual Dorany Sampaio. Filiado ao MDB, partido que foi presidido por ele durante 27 anos no estado, Dorany foi um combatente do regime militar, o que resultou na cassação do seu mandato na Assembleia Legislativa de Pernambuco em 1968. O PSB se solidariza com familiares e amigos neste momento de luto”, disse o presidente do PSB no Estado, Sileno Guedes.

“A política pernambucana amanheceu de luto nesta terça-feira (13) com a notícia do falecimento do ex-presidente do PMDB-PE, Dorany Sampaio. Amigo de longa data e referência de caráter, Dorany foi um grande defensor da democracia e lutou de forma ferrenha por sua implementação em um dos períodos mais sombrios da história do país. Foi líder inconteste do partido e soube construir relações não só na política, mas principalmente fora dela, onde era pai exemplar e uma pessoa admirada até pelos adversários. Sua partida deixa uma imensa lacuna e um sentimento de perda não só para mim, que tive o prazer de desfrutar de sua convivência e de sua amizade, mas para todos que buscam um Brasil mais justo e com mais oportunidades. Meus sentimentos aos amigos e familiares”, disse o presidente do Complexo Industrial Portuário de Suape, Marcos Baptista Andrade.

O ex-presidente da OAB-PE e vereador do Recife Jayme Asfora (MDB) relembrou a luta contra a ditadura. “Como ex-presidente da OAB-PE, pude conhecer de perto o trabalho feito por Dr. Dorany Sampaio na trincheira da nossa entidade. Durante a ditadura, não se deixou abater, nem mesmo quando teve seus direitos políticos cassados. Assumiu a Presidência da Ordem ainda naquele período de trevas, em 1979, e lutou bravamente junto àqueles que buscavam a retomada das nossas liberdades democráticas. Sua partida me deixa triste, mas com a certeza de que Dr. Dorany deixa um grande legado de coragem cívica”, afirmou.

Amigo de Dorany Sampaio, o deputado federal Carlos Eduardo Cadoca afirmou que ele vai fazer muita falta. “A política perdeu hoje um grande homem. Eu perdi um grande amigo. Dorany Sampaio, Dr. Dorany, é um exemplo. Combativo, ético, solidário, demonstrou, em momentos distintos da história do país, coragem e resistência , quando assim foi exigido, e uma enorme capacidade de diálogo e conciliação, traços marcantes do perfil de quem tanto defendeu e lutou pela democracia. Como deputado estadual cassado, presidente da OAB-PE nos anos 1970, secretário de Estado, e presidente do PMDB, na vida e na trajetória profissional, Dora, como é carinhosamente conhecido, e com quem tive a oportunidade de conviver e trabalhar de maneira tão próxima como companheiro e dirigente de partido por quase trinta anos, deixa um importante legado para Pernambuco e para o Brasil. Também inspira uma reflexão no momento em que desejamos, todos, que o lado nefasto da política seja vencido pelas boas prática da política.”

O deputado estadual André Ferreira (PSC) lembrou o trabalho de Sampaio na presidência do MDB. “A política pernambucana amanheceu mais pobre com a partida de Dorany Sampaio. Pude comprovar a sua conduta reta durante o período em que militei no PMDB, partido que conduziu com sabedoria e sensatez. Dorany deixa um legado de diálogo e resistência, atributos tão importantes nos dias atuais”, afirmou.

“A política de Pernambuco perde um de seus grandes referenciais com o falecimento de Dorany Sampaio, mas seu legado de liderança fica para todos nós. À família, desejo conforto nesse momento de saudade”, declarou o irmão do deputado, Anderson Ferreira (PR).

“É com profundo pesar que recebo a notícia do falecimento de Dorany Sampaio. Dorany teve uma vida marcada por exemplos de combatividade e dedicação às melhores causas. Esteve na linha de frente da luta pela redemocratização do País e desempenhou papel relevante na política de Pernambuco, sempre com coerência e dignidade. Dorany foi um grande amigo de meu pai e de toda a nossa família. Nesse doloroso momento, abraçamos sua esposa e filhos”, afirmou Armando Monteiro Neto (PTB).

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse que “Dorany Sampaio fez parte de uma geração de políticos pernambucanos que deixou um legado e ensinamentos de uma atuação política ética, séria e combativa”. Para ele, o emedebista “será sempre uma referência na luta pelas causas democráticas e republicanas e na construção de uma sociedade mais justa e igualitária”.

O ministro da Educação, Mendonça Filho, destacou a amizade que Dorany tinha com o seu pai, o ex-deputado federal José Mendonça Bezerra (1936-2011). “Minha eterna reverência ao amigo Dorany Sampaio. Amigo de papai, Dora é daquelas amizades que se perpetuam de geração a geração, marcada por uma longa convivência, pelo respeito e admiração mútuos. Neste momento de sua partida, minha solidariedade com a família e amigos”.


FECHAR