publicidade
12/03/18
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem

PSB ‘quer surfar na popularidade’ de Lula, diz Marília Arraes

12 / mar
Publicado por Douglas Fernandes em Notícias às 9:45

A vereadora do Recife e pré-candidata ao governo de Pernambuco, Marília Arraes (PT) disse não acreditar que o PSB, que flerta uma aliança com os petistas no Estado, faria a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no palanque do governador Paulo Câmara.

A parlamentar afirmou – em entrevista ao programa de rádio Cidade em foco da Rede Agreste, apresentado pelo radialista Alberes Xavier, – que os socialistas querem “surfar na popularidade” de Lula e desejam somar o tempo de propaganda na TV e rádio do PT.

“Será mesmo que o PSB vai fazer a defesa de Lula em uma candidatura ao governo aqui, tento votado pelo impeachment, tendo apoiado todo esse projeto que está hoje destruindo os direitos dos trabalhadores brasileiros? Eu acredito que não, pois o que o PSB quer, é surfar na popularidade do presidente Lula, se aproveitar da popularidade do presidente Lula, quer o tempo de televisão do PT que é muito grande, diferente do tempo do PSB, por exemplo”, disse.

LEIA TAMBÉM

» PT de Pernambuco sai de reunião com Lula sem definição sobre eleições
» João da Costa pode ganhar mandato de vereador no Recife com aliança entre PT e PSB
» Acordo PSB e PT também envolve secretaria de Transportes de Paulo Câmara
» Acordo do PT com PSB inclui até ajuda a Fernando Pimentel, em Minas Gerais

Ainda na avaliação da vereadora, os socialistas veem a candidatura da petista ao Palácio do Campo das Princesas como uma ameaça com “chances reais” de vitória contra o projeto de reeleição de Paulo Câmara. 

“O PSB quer retirar a nossa candidatura ao governo do Estado porque sabe que temos chances reais de ganhar a eleição para eles”, afirma a pré-candidata, que disputa com o deputado estadual Odacy Amorim e o dirigente petista José de Oliveira a indicação do partido para a disputa pelo Palácio das Princesas. 

Indagada se existe a possibilidade, caso seja confirmada a aliança PT e PSB, de ser candidata ao cargo de deputado federal e apoiar a reeleição de Paulo Câmara, a pré-candidata descartou estar no mesmo palanque do governador. A vereadora negou, porém, uma saída do partido, a qual se filiou em 2014 após choque com o ex-governador Eduardo Campos.

“Não tem nenhuma possibilidade de apoiar a reeleição de Paulo Câmara e continuarei no PT, mas não credito que o PT não vai fazer uma aliança incoerente como essa, principalmente diante do crescimento que a nossa candidatura vem apresentando, que mostra que não é um crescimento simplesmente de Marília, é um crescimento do projeto do Partido dos Trabalhadores”, concluiu.

Marília disse concordar com o senador Humberto Costa (PT) sobre a “obrigação de defender a candidatura” do ex-presidente Lula, mas para isso, segundo a parlamentar, “é preciso uma candidatura própria” no Estado.  


FECHAR