publicidade
26/04/17
Foto: Filipe Araújo/Fotos Públicas
Foto: Filipe Araújo/Fotos Públicas

Contra reforma trabalhista, Lula diz que acordos valem mais que lei quando sindicatos são fortes

26 / abr
Publicado por Amanda Miranda em Notícias às 22:13

Em entrevista exibida pelo SBT durante a discussão da reforma trabalhista na Câmara dos Deputados, o ex-presidente Lula (PT) voltou a criticar as mudanças. Ex-líder sindical, o petista foi questionado por que costumava defender um dos principais pontos do projeto, o de que os acordos coletivos das categorias tenham mais força do que a lei, e respondeu: “O legislado vale menos do que o negociado quando o sindicato é forte”.

Para Lula, apenas “meia dúzia” de entidades conseguem negociar com os grupos patronais em igualdade no País, entre eles o dos metalúrgicos do ABC paulista, onde começou a vida política, e o dos bancários.

LEIA TAMBÉM
» Terceirização, acordos e demissões: entenda a reforma trabalhista
» Maioria dos pernambucanos foi a favor de manter reforma trabalhista na pauta
» Ministro do Trabalho é exonerado para votar pela reforma trabalhista
» Veja como votaram os deputados da comissão na reforma trabalhista

O ex-presidente afirmou que a possível aprovação do projeto será uma volta “ao começo do século XX”. “A reforma trabalhista que eles estão fazendo é na verdade rasgar a CLT, é acabar com a Justiça do Trabalho, para que o trabalhador fique refém do empresário”, disse durante a entrevista.

Lula também atacou a reforma da Previdência. “É para jogar a desgraça do custo da Previdência nas costas do povo pobre”, falou. “Para resolver o problema da Previdência, a economia tem que voltar a crescer, pelo amor de Deus.” Segundo o petista, de 2004 a 2014, quando ele e Dilma Rousseff (PT) estavam no poder, a receita da seguridade social cresceu 54,1% e foi superavitária.


FECHAR