publicidade
04/04/17
Foto: Gilmar Felix/Câmara dos Deputados
Foto: Gilmar Felix/Câmara dos Deputados

Em reunião com ministro, Maia diz que reforma trabalhista será votada ainda em abril

04 / abr
Publicado por Amanda Miranda em Notícias às 17:01

O Ministério do Trabalho anunciou nesta terça-feira (4) que, em reunião entre o ministro Ronaldo Nogueira, e o  presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o deputado afirmou que o projeto de reforma trabalhista entra em votação ainda este mês. O relatório de Rogério Marinho (PSDB-RN) deve ser entregue nos próximos dias 11 ou 12. O projeto foi enviado pelo governo Michel Temer (PMDB) em dezembro do ano passado.

LEIA TAMBÉM
» Reforma trabalhista será a segunda que governo ‘seguramente’ realizará, diz Temer
» Ministério Público do Trabalho condena reforma trabalhista
» Câmara tende a mudar reforma trabalhista

O ministro saiu em defesa da proposta. “O Brasil não pode mais esperar. A definição de uma data para votar o projeto aponta para a modernização das relações de trabalho. Tenho certeza que os deputados saberão dar a resposta para as necessidades do País analisando esse projeto, que foi fruto de consenso e de um amplo debate com centrais sindicais, federações e entidades patronais”, disse Nogueira após o encontro com Maia.

» Rede entra com ação no STF contra terceirização; Gilmar Mendes será relator
» Placar da terceirização mostra que não será fácil aprovar reforma da Previdência
» Veja como os pernambucanos votaram sobre a terceirização

O principal ponto da reforma trabalhista é fazer valer os acordos coletivos sobre as leis em 13 pontos específicos, entre eles plano de cargos e salários e parcelamento de férias anuais em até três vezes. Veja outros:

infografico
Fonte: Agência Câmara

Além disso, está previsto o fracionamento de férias, que poderão ser tiradas em até três períodos, desde que um deles tenha no mínimo duas semanas. Um ponto polêmico é a jornada diária de trabalho, que atualmente é de no máximo 8 horas, mas, se a proposta for aprovada, poderá ser de até 12 horas, com limite semanal de até 48 horas, incluídas horas extras; ou até 220 horas por mês. 


FECHAR