publicidade
22/12/16
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Em defesa de Paulo Câmara, Danilo Cabral pede que Bolsonaro se preocupe com assuntos do Rio de Janeiro

22 / dez
Publicado por jamildo em Notícias às 15:57

Nesta quinta-feira, Jair Bolsonaro, aliado do deputado e PM Joel da Harpa, gravou e divulgou um vídeo em que apela a Paulo Câmara que abra um canal de diálogo com as associações que representam os policiais militares.

Assista na íntegra o vídeo:

O deputado Danilo Cabral saiu em defesa do governador Paulo Câmara e disse que o colega Jair Bolsonaro deve dedicar sua atenção ao Estado que representa, que se encontra completamente quebrado.

O socialista destaca que o governo fluminense atrasa o salário dos servidores, e enfrenta graves problemas na prestação dos serviços à população, como no atendimento da saúde.

“Diferentemente do Rio de Janeiro, Pernambuco tem Governo e governador”, alfinetou Danilo Cabral.

O deputado lembra que Governo pernambucano mantém aberto o canal de diálogo com os policiais militares.

“Ontem, foi realizada uma reunião entre o secretário de Defesa Social, Ângelo Gioia, com as associações que representam a PM no Estado, mostrando que as negociações continuam em andamento”.

“Pernambuco está pagando todos os servidores em dia, inclusive o décimo terceiro, mantém a prestação de serviços públicos regulares, além de realizar cerca de R$ 2 bilhões em investimentos em 2016”, destacou.

Entenda o caso

Militar da reserva, o deputado federal Jair Bolsonaro fez um apelo ao governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), para que abra um canal de diálogo com as associações que representam a Polícia Militar do Estado. Em vídeo, o deputado prestou apoio aos líderes da Associação de Cabos e Soldados, Alberisson Carlos e Nadelson Leite.

>> Em vídeo, Bolsonaro agradece pernambucanos que realizam ato em sua homenagem

“Ninguém de sã consciência é contra que os nossos irmãos, policiais civis, obtenham reajustes salariais. Agora, deixar de lado a Polícia Militar e esquece-la , não é uma boa política a ser praticada por parte do governo do Estado”, disse Bolsonaro, que deve disputar a Presidência da República em 2018.

Nos últimos dias, uma das críticas mais recorrentes por parte de políticos de oposição, como Joel da Harpa e Silvio Costa Filho, é a falta de diálogo da gestão estadual. Entretanto, as coisas parecem ter melhorado. Nessa quarta-feira (21), o comando-geral da PM se reuniu com os representantes das associações com intuito de chegar a um entendimento.

» Justiça determina bloqueio judicial de contas das associações de PMs

» PMs mantêm operação padrão após primeira reunião com comandantes

Os dois lados saíram sem uma proposta concreta, mas com um novo encontro marcado para a tarde desta quinta-feira (22), em que debaterão os aspectos técnicos de um acordo que será apresentado ao secretário de Defesa Social, Ângelo Gioia, na sexta-feira (23), quando ele os receberá.

Após o encontro dessa quarta, o presidente da Associação de Praças de Pernambuco (Aspra-PE), José Roberto Vieira, afirma que a mobilização continua e voltou a criticar a decisão de Paulo Câmara de acabar com a mesa de negociação e transferir essa responsabilidade para o comandante.

» Após interrupção das férias, 1,4 mil PMs voltam ao trabalho
» Associação de PMs vai ao Ministério Público para tentar manter operação padrão

“Isso  preocupa e cria uma insatisfação entre a tropa. O governador Paulo Câmara recebe todas as categorias menos as associações militares. Comandante é cargo de confiança; se for contra o Governo do Estado, cai”, disse. “Sabemos que isso (a operação padrão) não é bom, principalmente para a sociedade. Mas essa ausência de policiais na rua também é uma questão do Governo do Estado.”

Foto: Marcos Oliveira/NE10
Foto: Marcos Oliveira/NE10

Em sua última passagem pelo Estado, Jair Bolsonaro participou de um evento na Associação de Cabos e Soldados, no bairro da Madalena, área central do Recife. 

>> Bolsonaro é questionado sobre homofobia e ironiza: “Se fosse não estaria dando entrevista para você”

Durante o encontro, Bolsonaro revelou a dois anos das eleições que vai trocar o PSC por um partido maior. Alegando estar desconfortável dentro da legenda, afirmou que está sendo assediado, principalmente após a aprovação da reforma política que cria uma cláusula de barreira. “No momento eu sou uma loira bastante bonita no Congresso”, comentou.

Ao chegar em Pernambuco, ele foi recebido aos grito de “Bolsomito”:


FECHAR