publicidade
10/03/16

Líderes do DEM se reúnem em SP para as manifestações pró-impeachment

10 / mar
Publicado por jamildo em Notícias às 8:45

Foto: BlogImagem
Foto: BlogImagem

Os principais líderes do Democratas e da oposição se reunirão em São Paulo para as manifestações pró-impeachment da presidente Dilma Rousseff marcadas para o próximo domingo (13).

Segundo o deputado Mendonça Filho (DEM-PE), coordenador do comitê pró-impeachment, a expectativa é que essa manifestação seja muito maior do que os últimos protestos, em virtude dos graves fatos políticos envolvendo o governo da presidente Dilma e o ex-presidente Lula.

“Vamos fazer um ato em SP, reunindo políticos e movimentos sociais para que a gente possa integrar o Congresso e o povo nas ruas. As ruas serão o suporte popular para que a gente possa tirar do poder um governo que, infelizmente, atolou o Brasil numa crise econômica e endêmica”, declarou.

LEIA TAMBÉM:
PT pede que militância não vá às ruas no domingo 13
No Recife, Vem pra Rua pede segurança para protestos contra Dilma no domingo, em Boa Viagem
Movimento Vem Pra Rua e Estado de Direito convocam para manifestação no próximo domingo

Mendonça e o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) estarão em São Paulo já na sexta-feira (11) para articular a organização do evento com os movimentos de rua.

“É importante mobilizarmos todos para que participem desse ato em defesa do Brasil, uma manifestação de paz, e, em paz sairemos às ruas no próximo dia 13”, declarou o coordenador.

Mendonça diz que já confirmaram presença no ato da Avenida Paulista o senador José Agripino (RN), presidente do DEM, os líderes da bancada na Câmara e Senado, deputado Pauderney Avelino (AM) e senador Ronaldo Caiado (GO), além dos deputados Antônio Imbassahy (BA), líder do PSDB; e Paulo Pereira da Silva (SP), presidente do Solidariedade e os senadores Aloysio Nunes (PSDB-SP) e José Serra (PSDB-SP).

“Quem ficar em casa estará contribuindo para que Dilma fique. Quem quer que ela saia tem que sair de casa para que essa mobilização seja maior possível”, concluiu.


FECHAR