publicidade
04/09/14

Em Petrolina, Lula atua como defensor e cabo eleitoral de Dilma em Pernambuco

04 / set
Publicado por Blog de Jamildo em Eleições às 20:52

Lula em Petrolina reforça palanques de Dilma e Armando Monteiro. Foto: BlogImagem,
Lula em Petrolina reforça palanques de Dilma, Armando Monteiro Neto e João Paulo. Foto: BlogImagem,

Com a meta de reforçar a imagem da presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, no Nordeste e mostrar aos eleitores as iniciativas realizadas pela gestão petista nos últimos 12 anos, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) realizou um comício nesta quinta-feira (4) na cidade de Petrolina, no Sertão do São Francisco.

Aproveitando o capital político, o cacique-mor do PT pediu votos para a petista e para os candidatos ao governo de Pernambuco e ao Senado, Armando Monteiro Neto (PTB) e João Paulo (PT), respectivamente, e criticou os adversários. A presença de Lula no Nordeste é estratégica para fortalecer o nome da correligionária na região onde, segundo os números do Ibope, ela tem 48% de aceitação.

Lula foi recebido com festa na cidade sertaneja, com direito à uma “motocada” feita pelos mototaxistas da região. Seguidores de várias cidades da região participaram do ato político.

Às margens do Rio São Francisco, o ex-presidente iniciou a fala com um pedido por reforma política. Jovens militantes carregavam urnas no meio da multidão recolhendo votos para o “plebiscito popular”, cuja proposta é ouvir da população se há ou não o desejo pela convocação de uma Assembleia Constituinte exclusiva para realizar a reforma política. “Ninguém pode ir embora sem votar”, cobrou o petista.

Comício em Petrolina. Foto: Blog Imagem
Comício em Petrolina. Foto: Blog Imagem

Lula retornou a Petrolina 15 dias depois de passar pela cidade para gravar imagens usadas no guia eleitoral de Dilma. As gravações foram feitas nas obras da Transposição do Rio São Francisco, nos municípios de Cabrobó e Floresta.

“Fiquei emocionado com o que vi”, comentou o petista. “O cidadão que mora no Sudeste não tem noção do que é a seca para o povo. Eu quero festejar com vocês que ninguém vai morrer de sede”, acrescentou, mostrando-se confiante que voltará em 2015 para inaugurar mais uma etapa da obra da Transposição.

O ex-presidente também aproveitou o evento para defender a candidata do PT das críticas que vêm sendo feitas na área econômica. Segundo o petista, em 2010, período considerado mais crítico na crise econômica mundial, ele precisou escolher alguém que fosse capaz de contornar a situação e achou Dilma o nome mais qualificado para a função.

“Eu não tenho dúvida que a pessoa mais preparada para tomar conta desse País é a minha ministra Dilma”, afirmou o ex-presidente, principal fiador da campanha da presidente.

O petista citou ainda a geração de empregos na gestão petista. “Enquanto a Europa acabou com 62 milhões de empregos, o Brasil criou 11 milhões de postos de trabalho”, defendeu.

“A inflação está dentro da meta há 11 anos. Quando eu fui trabalhador tinha inflação de 80% ao mês. Hoje é 6% ao mês. É muito? É. Eu queria que fosse zero, mas Dilma fez milagre ao enfrentar a crise sem perder os empregos”, avaliou.

lll

A principal adversária de Dilma na sucessão presidencial, Marina Silva (PSB), foi citada uma única vez no discurso do ex-presidente. Lula mencionou a ex-ministra quando falava das eleições de 2010, em que precisava escolher um sucessor.

“Me despeço de vocês sabendo que fui eleito por um povo que aprendeu a andar de cabeça em pé e que agora vai reeleger Dilma”, disse Lula.

Além de Petrolina, o ex-presidente acompanha a presidente Dilma em um comício na comunidade de Brasília Teimosa, no Recife. Apesar do bom desempenho no Nordeste, Marina Silva (PSB) ganha espaço em Pernambuco desde a morte do ex-governador Eduardo Campos.

LEMBRANÇAS – A relação de amizade cultivada entre Lula e o ex-governador Eduardo Campos (PSB), que faleceu em um acidente aéreo no último dia 13 de agosto, também ganhou espaço no discurso do ex-presidente.

“Todo mundo sabe a minha relação [de amizade] com Eduardo Campos. Eu gostaria que nunca tivéssemos nos separado, mas na política tem disso”, disse o petista. “Mas o fato de ele ter morrido não muda nada a minha relação com a família dele”, afirmou Lula, lembrando à população que o foco da discussão agora é o futuro de Pernambuco e do Brasil.

O ex-ministro da Integração do governo da presidente Dilma Rousseff (PT) Fernando Bezerra Coelho (PSB), que atualmente disputa uma vaga no Senado contra João Paulo, recebeu críticas do ex-presidente Lula.

Sem citá-lo nominalmente, Lula atribui a Fernando Bezerra a pecha da ingratidão. “Quero sair daqui com a convicção e a certeza de que essa cidade não votará em senador que não tem coragem de reconhecer o mérito das obras feitas nesse País”, bateu Lula.


FECHAR