publicidade
26/08/14
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Em nota, João Carlos Lyra assume empréstimos para comprar avião, mas não fala em doação para campanha de Eduardo Campos

26 / ago
Publicado por jamildo em Notícias às 18:00

Por Jamildo Melo, editor do Blog

Pouco tempo depois de o PSB Nacional ter divulgado em Brasília, uma nota oficial informando que um grupo de empresários locais iria assumir a compra do avião de Eduardo Campos, para depois fazer um encontro de contas, com as horas de vôo cedidas ao candidato, o empresário João Carlos Lyra divulgou uma nota confirmando que pagou letras do financiamento de um leasing para comprar o avião. No entanto, nada fala sobre a doação da aeronave ou das horas de voo para o candidato morto de forma trágica.

De acordo com a versão do empresário, os recursos teriam vindo de dois empréstimos, um deles obtido com um parente e a maior parte dos recursos em uma operação financeira com o industrial Eduardo Bezerra Leite, dono de uma cerâmica Camboa, mais conhecido como Eduardo Ventola.  O nome dele apareceu junto às investigações pela primeira vez, na sexta-feira da semana passada, quando o Estadão citou como um dos empresários que teriam participação na compra da aeronave.

Em outra nota oficial, o empresário João Carlos Lyra assumiu ter feito empréstimos para a comprar do avião, mas não fala em doação para campanha de Eduardo Campos. Veja abaixo:

Nota do empresário João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho

“O empresário pernambucano João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho confirmou, nesta terça-feira (26), que para honrar compromisso com a empresa A.F. Andrade, fez vários empréstimos junto a empresários pernambucanos. Os valores recebidos foram para pagar parcelas vencidas do leasing do avião Cessna Citation 560 XL, para permitir que a Cessna, financiadora da aeronave, agilizasse a operação de venda”, diz a nota.

Nesta terça-feira, no mesmo dia do primeiro debate eleitoral na TV, o PSB informou em nota que os empresários pernambucanos emprestaram o jato para Eduardo Campos fazer campanha. Veja abaixo:

O Partido Socialista Brasileiro esclarece:

A aeronave de prefixo PR-AFA, em cujo acidente faleceu seu presidente, Eduardo Henrique Aciolly Campos, nosso candidato à presidência da República, teve seu uso – de conhecimento público– autorizado pelos empresários João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho e Apolo Santana Vieira.

Nos termos facultados pela legislação eleitoral, e considerando o pressuposto óbvio de que seu uso teria continuidade até o final da campanha, pretendia-se proceder à contabilização ao término da campanha eleitoral, quando, conhecida a soma das horas voadas, seria emitido o recibo eleitoral, total e final.

A tragédia, com o falecimento, inclusive, de assessores, impôs conhecidas alterações tanto na direção partidária quanto na estrutura e comando da campanha, donde as dificuldades enfrentadas no levantamento de todas as informações que são devidas aos nossos militantes e à sociedade brasileira.

Em uma terceira nota, um advogado, filho de ex-deputado socialista Luiz Piauhylino e irmão de criação e João Carlos Lyra, uma vez que Luiz Pihuhylino pai casou-se com a mãe de Carlos Lyra Filho, assume a outra parte de financiamento para compra de avião de Eduardo Campos. Veja abaixo.

Nota do advogado pernambucano Luiz Piauhylino Monteiro Filho

“Informo que no dia 14 de maio deste ano firmei contrato de empréstimo pessoal como o sr. João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho, no valor de R$ 325 mil, para que ele honrasse compromissos empresariais. Por disposição contratual a transferência bancária (TED) no valor do empréstimo foi feita no mês de junho em favor da empresa A.F. Andrade”.


FECHAR