publicidade
06/12/19
O zika é um dos vírus transmitidos pelo Aedes aegypti e associado ao aumento dos casos de microcefalia e síndromes neurológicas (Foto ilustrativa: Pixabay)
O zika é um dos vírus transmitidos pelo Aedes aegypti e associado ao aumento dos casos de microcefalia e síndromes neurológicas (Foto ilustrativa: Pixabay)

Exposição sobre o Aedes aegypti marca Semana Nacional de Mobilização contra o Mosquito no Recife

06 / dez
Publicado por Cinthya Leite em Blog - 06/12/2019 às 9:50

Para marcar a Semana Nacional de Mobilização contra o Mosquito Aedes Aegypti, a Prefeitura do Recife preparou diversas atividades educativas e de prevenção, que acontecem em várias áreas da cidade. Agentes de Saúde Ambiental e Controle de Endemias (Asaces) da Secretaria de Saúde do Recife participam das ações em escolas, unidades de saúde, praças e outros locais de grande circulação de pessoas sobre prevenção às arboviroses, que são as doenças transmitidas por mosquitos, como dengue, chicungunha e zika.

Na tarde desta sexta-feira (6), na Praça do Trabalho, em Casa Amarela, bairro da Zona Norte do Recife, haverá uma exposição mostrando o ciclo biológico do mosquito, atividades lúdicas e orientações gerais sobre as arboviroses.

Leia também:

Zika e microcefalia: secretário de Saúde de Pernambuco promete mais apoio às mães

Além das ações de rotina dos Asaces, em todos os bairros da cidade, para controle do vetor da dengue, chicungunha e zika, o Recife também incorporou outras alternativas aos seus Planos anuais de Enfretamento às Arboviroses, como a ampliação do uso das ovitrampas para monitoramento dos ovos dos mosquitos e a instalação de Estações Disseminadoras, que são uma espécie de armadilha na qual os mosquitos pousam e espalham o inseticida nos criadouros. Ainda este mês, a Secretaria de Saúde do Recife lançará o Plano Municipal de Enfrentamento às Arboviroses.

Somente de janeiro a setembro de 2019, os Asaces da Prefeitura do Recife visitaram mais de 1,5 milhão de imóveis e quase 16 mil pontos estratégicos de monitoramento. Ainda foram implantadas 17 Brigadas de Combate ao Mosquito em instituições públicas e privadas, para engajar a sociedade civil na luta para reduzir os focos de Aedes, com 63 brigadistas treinados para identificar e eliminar de focos, 1.133 ações educativas realizadas, além do recolhimento de 31.449 pneus em desuso que poderiam servir de criadouro para as larvas do mosquito.

Outra inovação é a utilização da tecnologia do mosquito estéril para reduzir a reprodução do inseto, esterilizando os machos e liberando-os no meio ambiente. Também foi criado um incentivo financeiro para aumentar a produtividade dos Asaces.

Como forma de informatizar o trabalho dos Asaces, a Prefeitura do Recife também utiliza o aplicativo Saúde Ambiental Digital para mapear os focos dos insetos transmissores de doenças.


FECHAR