publicidade
04/02/19
O período chuvoso em Pernambuco também precisa de atenção para evitar as ocorrências de leptospirose (Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem)
O período chuvoso em Pernambuco também precisa de atenção para evitar as ocorrências de leptospirose (Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem)

Pernambuco alerta para risco de leptospirose no período chuvoso

04 / fev
Publicado por Cinthya Leite em Blog - 04/02/2019 às 15:20

Com a chegada da temporada de chuva, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) alerta para prevenção dos casos de leptospirose. O contato da pele com água suja ou lama aumenta a chance de transmissão da doença, provocada pela urina de animais com a bactéria leptospira, principalmente ratos.

Se houver contato com água contaminada, recomenda-se lavar bem a área do corpo com água limpa e sabão. De acordo com a SES, hipoclorito de sódio a 2,5% (água sanitária) mata as leptospiras e deve ser usado para desinfetar reservatórios de água (um litro de água sanitária para cada mil litros de água do reservatório), locais e objetos que entraram em contato com água ou lama (um copo de água sanitária em balde de 20 litros de água). Pessoas que trabalham na limpeza de lama, entulho e esgoto devem usar botas e luvas de borracha para evitar a contaminação.

Este ano, já são cinco casos de leptospirose confirmados no Estado. Em 2018, foram 196 casos, com 11 mortes.

Sintomas

Também é importante ficar atento aos sintomas da doença: febre, dor de cabeça, dor muscular (principalmente nas pernas, na área das panturrilhas). Os sintomas podem aparecer até 30 dias após o contato com a água ou lama. Também podem ocorrer vômitos, diarreia e tosse. Nas formas graves, pode aparecer icterícia (pele olhos amarelos), sangramento e alterações urinárias.

Se houver suspeita, é necessário procurar, de imediato, o serviço de saúde mais perto, não se esquecendo de relatar ao médico sobre o contato com água ou lama.


FECHAR