publicidade
14/01/19
Em 10 anos, a prevalência da obesidade passou de 11,8% em 2006 para 18,9% em 2016, atingindo quase um em cada cinco brasileiros, segundo o Ministério da Saúde (Foto: Sérgio Bernardo/Acervo JC Imagem)
Em 10 anos, a prevalência da obesidade passou de 11,8% em 2006 para 18,9% em 2016, atingindo quase um em cada cinco brasileiros, segundo o Ministério da Saúde (Foto: Sérgio Bernardo/Acervo JC Imagem)

Recife ganha centro para driblar as ameaças da obesidade e diabetes

14 / jan
Publicado por Cinthya Leite em Blog - 14/01/2019 às 12:07

Doenças irmãs, a obesidade e a diabetes tipo 2 (corresponde a cerca de 90% dos casos da doença e está associada a hábitos poucos saudáveis e ao sobrepeso) carregam números que não param de crescer em todo o mundo. Só no Brasil, 9% da população têm diabetes, segundo o Ministério da Saúde, e metade vive com excesso de peso. Controlar ambas as enfermidades, que abrem portas para diversas complicações (entre elas, problemas cardiovasculares e acidente vascular cerebral), é um desafio. Para ajudar os pacientes, o Hospital Santa Joana, no Recife, lança o Centro de Obesidade e Diabetes.

Assista ao programa, na TV JC, sobre o tema:

Leia também: 

No Recife, 20% da população têm obesidade, fator de risco para doenças como câncer e até demência

Entenda como o transplante de fezes trata de doenças intestinais a obesidade

A unidade, que é a primeira da área no Norte e Nordeste, atua com uma equipe de médicos de diferentes especialidades e demais profissionais de saúde para oferecer um melhor acompanhamento a pacientes que desejam afastar as ameaças do sobrepeso e das taxas altas de glicose. O cirurgião bariátrico Josemberg Campos, coordenador do novo serviço, destaca que o essencial é oferecer uma assistência de qualidade a esses pacientes. “O tratamento da obesidade pode ser clínico, endoscópico ou cirúrgico. No centro, o principal objetivo é promover uma melhor qualidade de vida para as pessoas com obesidade, através de orientação, prevenção ou tratamento, além de possibilitar um acompanhamento a longo prazo, o que deixa o paciente mais seguro.”

“O objetivo do centro é oferecer caminhos sem complicações para que os pacientes não mudem o foco durante o tratamento da obesidade e também da diabetes. Para isso, organizamos toda a estrutura para que, num só lugar, toda a assistência seja oferecida. Esse fácil acesso é essencial”, destaca o médico Josemberg Campos (Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem)

O serviço conta com especialistas da clínica-geral, endocrinologia, nutrição, psicologia, cirurgia bariátrica, fisioterapia, cardiologista, educação física e cirurgiã plástica. “O paciente passa por uma primeira consulta e, em seguida, é encaminhado para o tratamento mais adequado”, explica Josemberg. Para o novo centro, o Santa Joana adquiriu camas que suportam até 340 quilos. O centro cirúrgico e alguns apartamentos serão adaptados: portas, banheiro, cama, maca, mesa cirúrgica e móveis estão em aquisição especificamente para o serviço. A estrutura tem capacidade para 800 consultas e 60 cirurgias bariátricas por mês, como a robótica, que oferece procedimentos minimamente invasivos, com significativas vantagens sobre as cirurgias convencionais, como cortes menores, menor tempo de internação, diminuição das complicações pós-cirúrgicas e rápida recuperação.


FECHAR