publicidade
12/11/18
Estudo da FAV revela que cerca de 30% das mães apresentam estresse em nível elevado, que pode caracterizar um transtorno de ansiedade e/ou um quadro depressivo (Foto: Fernando da Hora/Acervo JC Imagem)
Estudo da FAV revela que cerca de 30% das mães apresentam estresse em nível elevado, que pode caracterizar um transtorno de ansiedade e/ou um quadro depressivo (Foto: Fernando da Hora/Acervo JC Imagem)

Microcefalia: ansiedade e depressão afetam 30% das mães de crianças com síndrome congênita do zika

12 / nov
Publicado por Cinthya Leite em Blog - 12/11/2018 às 13:01

Os resultados do primeiro ano da pesquisa da Fundação Altino Ventura (FAV), em parceria com o governo americano, para retratar o perfil das famílias de crianças com a síndrome congênita do zika vírus, revelam que cerca de 30% das mães apresentam estresse em nível elevado, que pode caracterizar um transtorno de ansiedade e/ou um quadro depressivo.

Leia também:

‘Ônus recai sobre as mulheres’, diz pesquisadora sobre custo humano dos 3 anos da microcefalia por zika

Microcefalia: Pernambuco realiza cirurgia inédita de correção de estrabismo em crianças com zika

“É uma taxa alta. Estamos em busca de parceiros que possam oferecer apoio psicológico e intervenção psiquiátrica a essas mulheres. Elas precisam de um acompanhamento mais de perto”, informou a oftalmologista Camila Ventura, no programa Casa Saudável, da TV JC, na terça-feira (6).

Durante a entrevista, ela convocou profissionais da saúde mental para dar suporte às mães. A oftalmologista foi a primeira a relatar, pela primeira vez, ainda em 2015, a relação entre lesões oculares e infecção pelo zika na gestação. “Agora, tentamos identificar precocemente qualquer sinal de depressão e ansiedade. Precisamos agir o mais rápido possível. Não podemos esconder essa condição debaixo do tapete”, alertou Camila.


FECHAR