publicidade
25/01/18
Desflorestar e matar macacos não impedem a circulação do vírus da febre amarela; pelo contrário: essas atitudes tendem a prejudicar o papel de sentinela dos primatas (Foto: Guga Matos/JC Imagem)
Desflorestar e matar macacos não impedem a circulação do vírus da febre amarela; pelo contrário: essas atitudes tendem a prejudicar o papel de sentinela dos primatas (Foto: Guga Matos/JC Imagem)

Febre amarela: Disque Denúncia do RJ faz campanha contra maus-tratos a macacos

25 / jan
Publicado por Cinthya Leite em Blog - 25/01/2018 às 19:55

Da Agência Brasil

O Linha Verde, programa do Disque-Denúncia específico para delatar crimes ambientais, lançou uma campanha contra o ataque a macacos no Rio de Janeiro, depois da morte de 118 primatas apenas este ano. Os animais são hospedeiros da febre amarela silvestre e, apesar de não transmitirem a doença, estão sendo atacados pela população.

Leia também: 

Macacos não transmitem febre amarela; eles são aliados no combate à doença

Febre amarela: macacos são apenas vítimas; matá-los pode prejudicar medidas de controle da doença

Quem souber de algum episódio de morte ou agressão a macacos deve entrar em contato pelos telefones 2253-1177 (para chamadas na capital), 0300-253-1177 (interior do Estado, custo de ligação local) ou pelo aplicativo para celulares do Disque-Denúncia RJ, onde é possível enviar fotos e vídeos, sempre com a garantia do anonimato.

As denúncias recebidas pelo Linha Verde serão encaminhadas ao Comando de Polícia Ambiental e à Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente.

Dos 118 macacos mortos este ano no Rio de Janeiro, mais da metade sofreram espancamento ou envenenamento, segundo a Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde.


FECHAR