publicidade
15/10/17
São vários os sintomas que podem indicar a presença de um problema oftalmológico, como dor de cabeça ou mal-estar durante ou após realizar um esforço visual, como ler, desenhar ou escrever (Foto ilustrativa: Free Images)
São vários os sintomas que podem indicar a presença de um problema oftalmológico, como dor de cabeça ou mal-estar durante ou após realizar um esforço visual, como ler, desenhar ou escrever (Foto ilustrativa: Free Images)

Olho preguiçoso: o que os pais precisam saber sobre a doença que afeta o desenvolvimento da visão na infância

15 / out
Publicado por Cinthya Leite em Blog - 15/10/2017 às 21:27

Caracterizada pela diminuição da percepção visual, a ambliopia, popularmente conhecida como olho preguiçoso, ocorre quando a visão central, parcial ou total do olho não é desenvolvida adequadamente. O problema pode ser considerado leve, grave, severo ou profundo e, se não tratado a tempo, torna-se irreversível, podendo levar à cegueira.

Leia também:

Já ouviu falar em celulite ocular? Inflamação é mais comum em crianças

Oftalmopediatra indica o modelo ideal de óculos para as crianças

A doença costuma ocorrer nos primeiros anos de vida. “Por isso, é importante o teste do olhinho ou a realização do exame oftalmológico feito pelo próprio pediatra logo após o nascimento. Consultas regulares durante a fase de desenvolvimento da visão ajudam no diagnóstico precoce, já que a ambliopia é mais comum até os sete anos”, observa o médico oftalmologista José Ernesto Ghedin Servidei, consultor da Óticas Diniz.

Os pais precisam estar atentos aos principais sintomas. Entre eles, quando a criança começa a lacrimejar em excesso, coça demasiadamente os olhos, não consegue fixar o olhar em objetos, não acompanha a movimentação em volta apenas com os olhos, aproxima objetos para enxergar melhor e olha com o rosto torto. “Estrabismo, erros refracionais, como miopia, hipermetropia e astigmatismo, tumores e traumas também podem levar à ambliopia, o que reforça a necessidade de visitas regulares ao oftalmologista”, ressalta o especialista.

Já o tratamento, quando feito com disciplina, é bastante satisfatório e diminui o risco de cegueira. “Uma das medidas mais comuns é forçar o olho preguiçoso. Isso pode ser feito colocando um tampão no olho que vê melhor para que o outro tenha preferência para enxergar. O mesmo pode ser feito utilizando um colírio para embaçar a visão boa”, explica José Ernesto.

Além de limitar diversas atividades no dia a dia da criança, a ambliopia ainda gera algumas complicações nos músculos oculares. “É uma doença silenciosa, mas que dá sinais. Por isso, é importante o acompanhamento da saúde ocular desde cedo”, finaliza o médico oftalmologista.


FECHAR