publicidade
25/05/17
Pernambuco tem 87 municípios com alto índice de infestação do Aedes aegypti (Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem)
Pernambuco tem 87 municípios com alto índice de infestação do Aedes aegypti (Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem)

PE confirma a primeira morte por arbovirose de 2017. Vítima é idoso que tinha dengue

25 / maio
Publicado por Cinthya Leite em Aedes aegypti - 25/05/2017 às 14:22

Até o dia 20 de maio deste ano, Pernambuco notificou 5.459 casos de dengue (1.101 confirmados), uma redução de 94,8% em relação a 2016; 1.709 de chicungunha (412 confirmados), redução de 96,8%; e 259 de zika (sem confirmações), uma redução de 97,5%. Além disso, Pernambuco confirmou a primeira morte por arbovirose deste ano, segundo boletim divulgado, na tarde desta quinta-feira (25), pela Secretaria Estadual de Saúde (SES). A vítima é um idoso, morador do Recife e tinha dengue. Outros 28 óbitos por arboviroses estão em investigação no Estado.

Leia também: 

Pernambuco registra a 1ª morte suspeita por arboviroses de 2017

Dengue pode agravar danos causados pelo zika vírus, diz médica epidemiologista

O balanço da SES ainda destaca que 87 municípios pernambucanos estão em situação de risco para as arboviroses, de acordo com o 3º Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa). Isso significa que, nessas cidades, foram encontradas bastantes residências com a presença do mosquito, o que pode levar ao surgimento de doentes. Além disso, 52 municípios estão em situação de alerta e 19 em situação favorável. Outros 26 ainda não informaram o levantamento.

“Neste ano, em relação ao mesmo período do ano passado, diminuímos entre 94% e 97% as notificações de dengue, chicungunha e zika, mas precisamos lembrar que 2016 foi um ano epidêmico. Agora, se temos o Aedes e os vírus das arboviroses circulando, isso pode ajudar em uma nova epidemia. Por isso, não podemos relaxar. Precisamos continuar atentos para descartar os possíveis focos do mosquito, e os municípios precisam manter suas ações de vigilância e controle”, afirma a gerente do Programa de Controle das Arboviroses da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Claudenice Pontes.

Comparando com o 3º LIRAa de 2016, eram 69 municípios em risco de surto, 90 em alerta e 24 satisfatório. Já no 2º levantamento deste ano, eram 81 em risco de surto, 72 em alerta e 30 satisfatórios.

“Estamos em uma época de chuvas intercaladas com períodos de sol, ambiente ideal para que o mosquito deposite seus ovos e para que esse se desenvolva rapidamente. Assim, reforçamos com a população: não deixem recipientes destampados com água e, constantemente, verifiquem se há depósitos no entorno da casa que podem se transformar em um foco para o mosquito”, diz Claudenice.


FECHAR