publicidade
17/02/17
Upgrade no visual carnavalesco, glitter é o mais novo queridinho no universo da maquiagem. Mas vale ficar atento aos possíveis riscos à saúde (Foto ilustrativa: Ricardo B. Labastier / JC Imagem)
Upgrade no visual carnavalesco, glitter é o mais novo queridinho no universo da maquiagem. Mas vale ficar atento aos possíveis riscos à saúde (Foto ilustrativa: Ricardo B. Labastier / JC Imagem)

Glitter pode causar alergias e lesões nos olhos. Confira recomendações de especialista

17 / fev
Publicado por Cinthya Leite em Blog - 17/02/2017 às 15:42

Que o glitter é o mais novo queridinho na composição do visual carnavalesco, todo mundo já sabe. As possibilidades infinitas de combinação e o custo relativamente acessível fizeram com que muitas pessoas saíssem à procura deste produto. Mas vale lembrar que, assim como qualquer outro cosmético, essas partículas podem causar alergias na pele e até lesões nos olhos.

Leia também:
» Conheça as complicações do glitter usado na maquiagem de Carnaval
» Fique atento ao prazo de validade de maquiagem e outros cosméticos

“Nesta época as pessoas redobram a maquiagem e acabam usando produtos com maior quantidade de pigmentos, o que pode causar alergias na pele e problemas intraoculares. A primeira dica que damos é que as pessoas tennham cuidado com os produtos que usam, que optem por marcas conhecidas”, explica a dermatologista Cláudia Magalhães, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e Academia Americana de Dermatologia.

O segundo passo é na hora da retirada do produto. “Quando a pessoa usa maquiagem no Carnaval deve saber que está mais exposta ao sol e ao suor. Essa mistura irrita ainda mais a pele. Por isso é essencial ter todo o cuidado na hora de retirar a maquiagem. A sugestão é remover com demaquilante, já que o sabonete comum não remove as substâncias por completo. Os demaquilantes bifásicos são ideiais para a região dos olhos”, ressalta a especialista, que também assina a coluna Questão de Pele, do Portal NE10.

Em caso de irritação, o ideal é remover o produto o mais rápido possível. “Lavar a região com muita água corrente para remover todo o produto é essencial. Se o problema persistir, seja na pele ou nos olhos, o paciente deve procurar o quanto antes o médico especialista”, pontua a dermatologista.

Mesmo usando o produto diversas vezes sem apresentar reação alérgica, é bom ficar atento e não descuidar da saúde. “Normalmente, você pode ter contato com uma substância a vida toda e nunca apresentar problemas. Mas o nosso organismo é uma caixinha de surpresas. Não existe uma fórmula mágica. Por isso, a partir do momento que o paciente desenvolve alergia não deve insistir em usar o produto”, finaliza.


FECHAR