publicidade
01/11/16
Até o fim do ano cerca de 61,2 mil brasileiros devem ser acometidos pelo câncer de próstata (Foto: Free Images)
Até o fim do ano cerca de 61,2 mil brasileiros devem ser acometidos pelo câncer de próstata (Foto: Free Images)

Câncer de Próstata: “PSA é um exame sensível para detectar o tumor, mas não é totalmente confiável”, diz urologista

01 / nov
Publicado por Cinthya Leite em Blog - 01/11/2016 às 10:15

Barra - Novembr Azul - CS

Juntos, a dosagem do antígeno prostático específico (PSA) no sangue e o exame de toque retal formam o dueto essencial para deter o câncer de próstata, o segundo tipo de tumor mais incidente nos homens (atrás apenas do câncer de pele não melanoma). Nos casos em que o PSA tem risco de ser falho, o toque pode ser fundamental para uma avaliação. “De qualquer forma, atualmente 70% ou mais dos casos de câncer de próstata são diagnosticados apenas pela elevação do PSA. É um exame que solicitamos com frequência no início do rastreamento. Um tumor, para crescer o suficiente e ser sentido no toque, já daria pistas num PSA realizado no anos atrás”, informa o médico Misael Wanderley Júnior, chefe do setor de urologia do Hospital Esperança Recife, na Ilha do Leite, área central da cidade.

"Há uma pequena porcentagem de pacientes, menos de 10%, em que o PSA é normal e, ainda assim, o homem tem um câncer, que pode ser sentido pelo toque", diz o urologista Misael Wanderley Junior (Foto: André Nery/JC Imagem)
“Há uma pequena porcentagem de pacientes, menos de 10%, em que o PSA é normal e, ainda assim, o homem tem um câncer, que pode ser sentido pelo toque”, diz o urologista Misael Wanderley Junior (Foto: André Nery/JC Imagem)

O especialista acrescenta que, apesar de o PSA ser um exame sensível, não é totalmente confiável, já que existem outras doenças com a capacidade de alterar esse marcador. “Mas se o toque for positivo, a ponto de detectar um caroço na próstata, a chance de ser um câncer é de 90%. Por outro lado, o PSA alterado não significa uma possibilidade de se tratar de um tumor sempre. E ainda há uma pequena porcentagem de pacientes, menos de 10%, em que o PSA é normal e, ainda assim, o homem tem um câncer, que pode ser sentido pelo toque”, explica Misael. O relato do urologista serve para reforçar por que ambos os exames ganham força, no processo de diagnóstico precoce da doença, quando realizados simultaneamente.

Leia também:

Novembro Azul: Sem preconceitos para conscientizar sobre o câncer de próstata

Novembro Azul: Sete novos casos de câncer de próstata surgem a cada hora

O corretor de imóveis Alberto Fernandes, 49 anos, reconhece a importância da avaliação de rotina. “Precisamos nos cuidar e entender que é melhor descobrir um problema de saúde no começo, quando é mais fácil tratar. Costumo dedicar um período do ano para fazer um check-up”, conta Alberto, que já se submeteu aos exames da próstata, cujos resultados estão dentro da normalidade.

Infográfico 1 - Câncer de Próstata - 01112016

Infográfico 3 - Câncer de Próstata - 01112016


FECHAR