publicidade
13/10/16
O tromboembolismo venoso (TEV) é caracterizado por coágulos sanguíneos que se produzem nas pernas e nos pulmões (Imagem: Free Images)
O tromboembolismo venoso (TEV) é caracterizado por coágulos sanguíneos que se produzem nas pernas e nos pulmões (Imagem: Free Images)

No mundo, uma em cada quatro mortes está relacionada à trombose

13 / out
Publicado por Cinthya Leite em Blog - 13/10/2016 às 6:04

Mais de 600 organizações médicas, órgãos governamentais de saúde e organização de defesa de pacientes e saúde pública de 80 países se reuniram para convocar seus sistemas de saúde a exigir avaliações de risco, nos hospitais, para verificar a presença de tromboembolismo venoso (TEV) – coágulos sanguíneos que se produzem nas pernas e nos pulmões. O engajamento faz parte das ações do Dia Mundial da Trombose, que culmina nesta quinta-feira (13), é organizado pela Sociedade Internacional de Trombose e Hemostasia (International Society on Thrombosis and Haemostasis – ISTH) e conta com o apoio de várias organizações, como a Federação Mundial do Coração, os Grupos de Trabalho sobre Trombose e a Associação Americana do Coração, entre outras. O objetivo da data é promover a conscientização sobre a trombose (formação de coágulos sanguíneos que acarretam risco de vida). Uma em cada quatro mortes, no mundo, está relacionada à trombose.

Leia também:

Mais da metade dos brasileiros não conhece o risco fatal da trombose não tratada

Trombose em recém-nascidos e crianças não é mapeada na América Latina

A maioria dos sistemas de saúde não exige que os hospitais avaliem todos os pacientes que são atendidos para verificar o risco de desenvolverem TEV, apesar de 60% de todos os casos de TEV estarem associados a internamento em hospitais. No mundo, são estimados 10 milhões de casos de TEV por ano. Ao lado do infarto e do derrame tromboembólico, o TEV é um dos três principais fatores de morte por problema cardiovascular no mundo – todos os três são provocados pela trombose. Somente na Europa e nos Estados Unidos, mais de 600 mil pessoas morrem por TEV por ano – um número maior do que o total combinado de mortes por câncer de mama e de próstata, aids e acidentes com veículos motorizados.

“Um paciente que vai a um hospital tem mais risco de desenvolver TEV, seja hospitalizado para uma cirurgia ou por uma doença”, disse o reitor do College of Public Health do University of Oklahoma Sciences Center, Gray Raskob, presidente do Comitê Diretor do Dia Mundial da Trombose. “As pessoas precisam saber que a hospitalização é um importante fator de risco para TEV, e os hospitais têm a obrigação perante seus pacientes de controlar a avaliação de risco de TEV em todos os pacientes. Os resultados dessa avaliação devem ser utilizados para decidir sobre o uso de medidas preventivas baseadas em provas para evitar o TEV.”

SAIBA MAIS

A TEV pode manifestar por trombose venosa profunda (TVP), um coágulo sanguíneo que se produz em uma veia profunda (geralmente na perna) e por embolia pulmonar (EP), um coágulo sanguíneo que se solta e vai até o pulmão. Trata-se de uma condição que acarreta risco de vida e que exige cuidados médicos imediatos.

Sintomas da TVP ou coágulo sanguíneo na perna: Dor/sensibilidade ou inchação geralmente começando na panturrilha, vermelhidão, mudanças perceptíveis na cor e/ou aumento de temperatura na perna

Sintomas de EP ou coágulo sanguíneo no pulmão: Falta de ar inesperada ou respiração acelerada, dor no peito (às vezes, pior com uma inspiração profunda), aceleração dos batimentos cardíacos e/ou tonteira ou desmaio.

* Esses sintomas não significam necessariamente a presença de TVE, mas um profissional de saúde deve fazer a verificação imediatamente


FECHAR