publicidade
02/08/16
(Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem)
(Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem)

Mortes por dengue e chicungunha já chegam a 65 em Pernambuco

02 / ago
Publicado por Cinthya Leite em Aedes aegypti - 02/08/2016 às 18:14

Mais da metade dos óbitos por dengue e chicungunha se concentram entre a população idosa, a partir dos 60 anos (Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem)
Mais da metade dos óbitos por dengue e chicungunha se concentram entre a população idosa, a partir dos 60 anos (Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem)

Em Pernambuco, já foram confirmados 65 óbitos por arboviroses este ano, sendo 34 com resultados laboratoriais positivos para dengue, 24 para chicungunha e 7 com exames que confirmam a presença de ambos os vírus. Até 30 de julho deste ano, o número de mortes confirmadas se aproxima ao total de todo o ano de 2015, quando foram confirmados 73 óbitos por arboviroses: 59 para dengue e 14 para chicungunha, segundo a coordenadora do Programa de Controle de Arboviroses da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Claudenice Pontes.

Leia também:
» Recife confirma as primeiras mortes de feto e recém-nascido por chicungunha
» Triplica o número de mortes causadas por dengue em Pernambuco. Também sobem confirmações de óbitos por chicungunha

Os dados foram divulgados, na tarde desta terça-feira (2), em boletim da SES. “Nos casos em que houve resultados positivos para ambas as doenças, precisamos avaliar se, juntas, dengue e chicungunha foram a causa básica dessas mortes a partir de uma investigação sobre os sintomas apresentados por esses pacientes”, esclarece Claudenice.

Mais da metade dos óbitos se concentram entre a população idosa, a partir dos 60 anos. Nessa faixa etária, foram confirmadas 38 mortes por arboviroses (15 para dengue, 19 para chicungunha e 4 para ambas as doenças), o que corresponde a 58,4% do total de óbitos. Outras 100 mortes nessa faixa etária estão em investigação.

Segundo a SES, este ano já estão confirmados 24.064 casos de dengue, 18.737 de chicungunha e 147 de zika. Entre os municípios pernambucanos que apresentam maior risco de adoecimento, estão São João (Agreste), Garanhuns (Agreste) e Jaqueira (Zona da Mata Sul).


FECHAR