publicidade
28/07/16

Recife confirma as primeiras mortes de feto e recém-nascido por chicungunha

28 / jul
Publicado por Cinthya Leite em Aedes aegypti - 28/07/2016 às 11:47

mosquito

Por Thiago Vieira, do Portal NE10

Foi confirmado o primeiro caso de morte fetal por arbovirose no Recife. Segundo boletim divulgado pela Secretaria de Saúde da capital pernambucana, a mãe, de identidade não revelada, deu entrada com sintomas de chicungunha em um hospital da rede privada no dia 13 de fevereiro.  Segundo a secretária-executiva de Vigilância em Saúde do Recife, Cristiane Penaforte,  após o terceiro dia de internamento foi constatado o óbito fetal, na 38ª semana de gestação, confirmado pelos testes como sendo causado pela doença. O feto era menino e não tinha sinais de malformação. A mãe é moradora do bairro do Arruda, na Zona Norte do Recife.

A Secretaria de Saúde também confirmou a primeira morte de um recém-nascido por chicungunha em março deste ano. O bebê, um menino de apenas quinze dias de vida, não apresentou malformação. Ele era morador do bairro da Estância, na Zona Oeste.  O órgão está investigando ainda um segundo caso de óbito de recém-nascido em decorrência de arbovirose no Recife, registrado em abril deste ano. Do sexo masculino, ele morava em Campina do Barreto, Zona Norte.

Em março, durante lançamento do protocolo de chicungunha, o secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, informou que estavam sendo desenvolvidas diretrizes para o tratamento de crianças acometidas com a doença. Na época, o gestor destacou a possibilidade de mulheres infectadas perto do dia do parto transmitirem o vírus aos recém-nascidos. A taxa de transmissão, nesse período, pode chegar até a 45% – desses, cerca de 90% podem evoluir para formas graves.

“Estamos com um olhar particular para os recém-nascidos de mães que tiveram chicungunha próximo ao momento do parto, o que pode causar formas mais graves da doença nessa faixa etária”, alertou, na época, Jailson Correia, que é médico pediatra.

BOLETIM – No boletim referente à semana epidemiológica 28, divulgado nessa quarta-feira (27), foram notificados 26.730 casos de arboviroses, um aumento em 14,4% em relação ao mesmo período no ano passado. A dengue continua liderando o ranking de números de infecções com 14.332 casos. Chicungunha vem em seguida com 8.476 e a Zika encerra com 3.922 casos. Dentre estas notificações, foram confirmados 10.123 casos, sendo 7.389 de dengue, 2.706 de Chicungunha e 28 de Zika.

Também foi divulgado o Coeficiente de Incidência por bairro, que é calculado a partir da divisão de 10.000 habitantes com o número de casos prováveis, ou seja, os notificados exceto os descartados. Os que apresentaram o maior risco foram os de Dois Irmãos (88,95), Sítio dos Pintos (88,87), Bairro do Recife (80,39).

Atualmente existem 91 óbitos suspeitos de terem sido causados por arboviroses, sendo 14 confirmados para Chicungunha, 3 para dengue e 2 com resultado para dengue e chicungunha. Já a microcefalia possui 64 casos confirmados e outros 155 em investigação. Quanto ao período de nascimento com mais casos suspeitos e confirmados, entre outubro e dezembro de 2015 houve a maior incidência.


FECHAR