publicidade
16/06/15
energetico-235
energetico-235

Consumo excessivo de energéticos pode causar danos à saúde

16 / jun
Publicado por Cinthya Leite em Blog - 16/06/2015 às 9:00

Imagem de latas de energético (Foto: Photl.com)
Consumo excessivo de energéticos, principalmente associado a outras substâncias, pode afetar sistema nervoso, neurológico e até gastrointestinal (Foto: Photl.com)

Usados como estimulantes para dar uma energia extra ao corpo e mente, os energéticos estão cada vez mais em alta no mercado, principalmente entre os jovens. Com a procura cada vez maior, surge um alerta para o uso excessivo e inadequado do produto. Apesar de não haver estudos cientificamente comprovados que relacionem a ingestão da bebida a determinadas doenças, o consumo associado a outras substâncias pode causar sérios danos à saúde.

A principal preocupação dos especialistas é a mistura da bebida com álcool, drogas e até medicamentos. “O álcool tem duas principais fases: a estimulação e a sonolência. O energético aumenta os efeitos que o álcool já induziria no nosso organismo na fase da estimulação e corta a fase do sono. E mais: algumas dessas bebidas têm substâncias que podem interagir com medicamentos e causar efeitos colaterais ainda maiores, principalmente se a pessoa já tiver predisposição a algum problema de saúde”, alerta o cardiologista Carlos Frederico Lopes, chefe da cardiologia do Hospital Santa Joana, no Recife.

Os sintomas do uso excessivo de energéticos vão desde complicações no sistema gastrointestinal, como diarreia e vômitos, até problemas no sistema cardíaco e nervoso. “Apesar de não haver estudos que comprovam cientificamente a relação entre o consumo dessas bebidas e doenças, há relatos de pacientes atendidos na emergência hospitalar sobre o uso de energéticos. O uso desses produtos, geralmente associados a outras substâncias, pode causar palpitação, hipertensão, insônia, taquicardia e sudorese”, explica.

Por ter cafeína como um de seus componentes principais, junto à taurina e ao inositol, o energético também pode afetar o sono. “A dose média de cafeína recomendada é de 100 ml a 200 ml por dia. Assim, esse uso agudo de energéticos, que costumam ter de duas a quatro vezes mais cafeína do que o normal, pode causar algum distúrbio no sono”, ressalta o cardiologista.

E apesar de as bebidas energéticas serem regulamentadas por órgãos especializados, é importante ficar atento ao consumo da bebida por idosos e crianças. Por ter uma superfície corporal menor, a criança pode sofrer ainda mais com doses muito altas de cafeína.


FECHAR