publicidade
23/04/15
barriga_destaque
barriga_destaque

Gestação: entenda o que acontece com você e o bebê em cada fase

23 / abr
Publicado por Cinthya Leite em Blog - 23/04/2015 às 13:35

A gravidez é uma fase que envolve expectativa pela chegada do bebê e mudanças do corpo da mulher (Foto: Igo Bione Fotografia)
A gravidez é uma fase que envolve expectativa pela chegada do bebê e mudanças do corpo da mulher (Foto: Igo Bione Fotografia)

A gestação é uma experiência que envolve uma série de expectativas pela chegada do bebê e a transformação do corpo da mulher, que passa a vivenciar uma oscilação hormonal intensa durante as fases do ciclo gestacional. Para facilitar, os médicos dividem a gravidez em três trimestres – cada um tem particularidades especiais. Com a intenção de ajudar cada gestante a lidar com as mudanças vividas em cada etapa, conversamos com o obstetra Eugenio Pita, que detalha aqui no blog o que acontece durante cada um dos três trimestres da gravidez. Quando a gente passa a conhecer o que acontece com o nosso corpo e com o bebê que está sendo gerado, ganhamos mais segurança para aproveitar as etapas da gestação de forma plena.

Leia mais:

>> NE10 promove 6ª edição do concurso A Minha Gravidez, integrado ao Casa Saudável

>> Como eu aprendi a tirar, armazenar, congelar e usar o leite materno

1º TRIMESTRE

Estamos acostumadas com a ideia de que o bebê fica nove meses na nossa barriga. Para os médicos, contudo, a gravidez dura 40 semanas. Como não dá para a gente saber exatamente o dia em que o óvulo encontrou o espermatozóide, ficou estabelecido que a contagem começa a partir do primeiro dia da última menstruação. Esta primeira fase da gestação, chamada de primeiro trimestre, vai do início da gravidez até a 14ª semana da gestação. “A partir do momento em que a mulher sabe que espera um bebê, deve ser iniciado o pré-natal, que é o acompanhamento médico que toda gestante deve ter. Sugere-se que, no mínimo, a gestante passe por uma consulta mensal até a 34ª semana”, diz o obstetra Eugenio Pita.

Ele frisa que é importante que seja feita um ultrassom entre a 8ª e 11ª semana – período em que é possível datar com maior precisão a gravidez (idade gestacional) e, dessa maneira, prever a data prevista do parto. “Este primeiro trimestre funciona como um período de adaptação às transformações do organismo para gerar um bebê. Como o metabolismo muda, muitas gestantes se queixam de moleza, sentem enjoos e chegam a vomitar”, explica o médico.

Nesta fase, as células que se dividem sem parar no útero materno, agrupadas numa bolinha, transformam-se num embrião, praticamente do tamanho de um grão de areia. Nas primeiras semanas, essencial para o desenvolvimento do bebê, a placenta e o cordão umbilical ainda não se aperfeiçoaram, mas são fundamentais para levar oxigênio e hormônios, além de nutrir o feto. “É importante não fazer uso de medicações sem orientação médica e evitar alguns tipos de alimentos que podem interferir na formação dos órgãos do bebê”, orienta Eugenio Pita. O obstetra pode orientar a mulher sobre isso, de acordo com o perfil de cada uma. Na 10ª semana, os órgãos vitais já estão formados e funcionam.

"O primeiro trimestre funciona como um período de adaptação às transformações do organismo para gerar um bebê", diz Eugenio Pita (Foto: Divulgação)
“O primeiro trimestre funciona como um período de adaptação às transformações do organismo para gerar um bebê”, diz Eugenio Pita (Foto: Juanpa Ausin/Águila Comunicação)

A partir da 11ª semana de gravidez, o feto só faz crescer. Alguns laboratórios oferecem, a partir da 8ª semana, um exame de sangue que determina o sexo fetal. No fim deste trimestre, contudo, alguns médicos conseguem dar um palpite forte em relação ao sexo durante o ultrassom morfológico, um exame de rotina que tem como principal objetivo ajudar a detectar o risco de síndrome de Down e anomalias cromossômicas. Deve ser feito entre 11 e 14 semanas de gravidez. A partir da 12ª semana, o bebê alcança o desenvolvimento crucial e, por isso, cai o risco de aborto espontâneo.

2º TRIMESTRE

Compreende a 15ª e a 26ª semana de gestação. Alguns médicos alegam que é a fase mais estável da gestação, pois o organismo da mulher já se acostumou às mudanças decorrentes da gravidez. “É nessa fase que a maioria das mulheres sente os primeiros movimentos fetais, geralmente a partir da 20ª semana”, avisa Eugenio Pita. As mulheres que já passaram por uma gestação percebem os primeiros chutinhos do bebê até algumas semanas antes, pois conseguem reconhecer com facilidade os movimentos. Para muitas gestantes, o fato de sentir o bebê pela primeira vez é um marco na gravidez. No início, algumas dizem que a sensação é uma leve cócegas na barriga. Depois, os movimentos suaves viram chutes intensos, contemplados pela gestante, família e amigos.

Nesta fase da gravidez, obstetras solicitam às gestantes um teste de intolerância à glicose, capaz de detectar diabetes gestacional, que deve ser tratada se detectada, a fim de não prejudicar a mãe e o bebê. “No final deste trimestre, o bebê já está com cerca de 1 quilo”, diz o médico.

3º TRIMESTRE

Tem início a partir da 27ª semana. A partir dela e até o parto, o bebê deve ganhar mais 2,5 quilos em média. É uma fase de ganho rápido de peso. “A placenta atinge o ápice de sua função e, por isso, muitas gestantes sentem mais fome, menos disposição, passam a ter aumento da pressão arterial, retenção de líquidos nos tecidos e estão mais sujeitas a desenvolver diabetes, que tende a desaparecer quando o bebê nasce”, informa Eugenio Pita.

O último trimestre é uma fase de amadurecimento dos órgãos do bebê, principalmente do pulmão (Foto: Free Images)
O último trimestre é uma fase de amadurecimento dos órgãos do bebê, principalmente do pulmão (Foto: Free Images)

Neste fim de gestação, ele diz que algumas mulheres passam a ter modificações posturais pelo ganho de peso rápido do bebê. Com a barriga crescendo cada vez mais, a gestante tem maior tendência a refluxo gastroesofágico, prisão de ventre e produção de gases. É uma fase de amadurecimento dos órgãos do bebê (principalmente do pulmão), que começaram a se formar nas primeiras semanas de gestação.

“Entre a 35ª e a 37ª semana, as consultas com o obstetra devem ser quinzenais, e não mais mensais. Ao entrar na 38ª semana de gestação, a mulher deve ser acompanhada a cada semana”, acrescenta Eugenio. A partir da 37ª semana e um dia, o bebê está pronto para vir ao mundo teoricamente. Se nascer a partir de agora, não será mais considerado prematuro. Quanto mais tempo ele ficar na barriga para ganhar peso, menor a chance de permanecer em unidade de terapia intensiva neonatal quando nascer.

Confira no vídeo detalhes sobre a vida intrauterina


FECHAR