publicidade
16/04/15
pai-filho-235
pai-filho-235

Depressão após nascimento do filho pode atingir os homens. Confira os sintomas

16 / abr
Publicado por Cinthya Leite em Blog - 16/04/2015 às 9:10

Pai segura mão de bebê (Foto: Free Images)
Privação do sono, medo de não conseguir contribuir na criação do pequeno e ansiedade são alguns dos fatores que levam o homem a ter depressão (Foto: Free Images)

Sabia que, depois do parto, a depressão também pode afetar os homens? Por diversos motivos, alguns pais, principalmente aqueles de primeira viagem, podem desenvolver esse transtorno mental logo após o nascimento dos filhos. Privação do sono, medo de não conseguir contribuir na criação do pequeno e ansiedade são alguns dos fatores que levam o homem a desencadear um quadro de depressão.

“Não chamamos de depressão pós-parto, como nas situações em que o transtorno atinge as mulheres que deram à luz, embora possamos observar alguns traços específicos dessa fase. Como muda a situação existencial do casal, alguns homens podem desenvolver depressão. Alguns sentem um peso na carga de responsabilidade, principalmente quando é o primeiro filho. Muitos se sentem ansiosos com a dúvida se vão conseguir dar conta da missão de pai”, explica o psiquiatra Amaury Cantilino, doutor em neuropsiquiatria e ciências do comportamento.

Ele acrescenta que há homens que se sentem incomodados com a mudança do contexto do casal, já que muitas mulheres se voltam para os filhos. “Um outro detalhe é, diante disso, a mãe também vivenciar uma depressão pós-parto. É como se, de alguma forma, isso também afetasse os homens.”

Nas mães, as razões desse transtorno estão associadas desde à alteração hormonal até cuidados excessivos com bebês. “Nas mulheres, por exemplo, acontece muita ansiedade, angústia e sentimento de culpa”, esclarece o especialista.

Já nos homens, os sintomas são muito parecidos com aqueles apresentados na depressão clássica. “Eles apresentam, em geral, mais irritabilidade do que ansiedade ou tristeza, como também mais insônia do que sonolência. Além disso, podem vivenciar conflitos com outras pessoas e até uso exagerado de álcool e outras drogas”, complementa Cantilino.

Homens que vivenciam depressão após o nascimento do filho podem melhorar a relação com o bebê com apoio terapêutico (Foto: Free Images)
Homens que vivenciam depressão após o nascimento do filho podem melhorar a relação com o bebê com apoio terapêutico (Foto: Free Images)

A relação com a criança também muda durante a depressão paterna. “O pai termina ficando distante por se sentir por fora da relação. Ele se aborrece facilmente com as demandas do bebê, o que acaba afetando, de uma forma geral, a relação dele não só com a criança, mas também com a esposa”, explica o psiquiatra.

O tratamento pode ser feito, dependendo do grau, com medicação antidepressiva aliada à terapia ou apenas tratamento terapêutico. “O especialista vai tentar perceber, a partir da conversa com o homem, quais são os conteúdos que ele traz e o que pode ser trabalhado em termos de terapia. Quando é uma depressão de moderada a grave, deve-se fazer psicoterapia e uso de medicamentos. Tudo vai depender da intensidade dos distúrbios funcionais e do grau de sofrimento do paciente por causa dos sintomas”, alerta.

Algumas iniciativas tomadas, no entanto, durante a gravidez da mulher podem ajudar a evitar a depressão no casal. “Planejar o período do pós parto fica muito mais fácil quando os pais começam a se inteirar antes do nascimento das dificuldades e demandas que terão quando se tornarem pais. Se planejar para o que está por vir e conversar com pessoas que já passaram pela situação ajuda o casal a não precisar enfrentar essas dificuldades sem que tudo seja uma surpresa”, finaliza Cantilino.


FECHAR