publicidade
10/02/15
glitter
glitter

Conheça as complicações do glitter usado na maquiagem de Carnaval

10 / fev
Publicado por Cinthya Leite em Blog - 10/02/2015 às 6:00

Uma pequena lesão causada pelo glitter nos olhos serve de porta de entrada para vírus e bactérias (Foto: Reprodução/Internet)
Uma pequena lesão causada pelo glitter nos olhos serve de porta de entrada para vírus e bactérias (Foto: Reprodução/Internet)

Caprichar na maquiagem faz parte da rotina carnavalesca de quem não abre mão de compor o look com brilho e cores. É importante, contudo, ter cuidado com alguns itens escolhidos para a produção, especialmente o glitter, uma partícula sólida que pode provocar (no mínimo) um arranhão se cair dentro do olho.

Nesse quesito, é preciso ter cautela porque uma pequena lesão causada pelo glitter serve de porta de entrada para micro-organismos, como vírus e bactérias. O alerta é do oftalmologista Roberto Galvão Filho, do Instituto de Olhos do Recife (IOR). “Arranhões causados pelo glitter usado na maquiagem podem causar desde simples irritação ocular com conjuntivite viral a úlcera na córnea. Há quem aplique o glitter nos cílios. Isso é muito perigoso”, diz o médico.

Ele frisa que o melhor é evitar o uso do glitter na maquiagem. “Se acontecer de alguém usar, é importante tomar algumas atitudes caso as partículas caiam no olho. Não se deve esfregar, e sim lavar o olho com água corrente em grande quantidade. Se o glitter não sair, o recomendado é procurar um serviço de urgência em oftalmologia”, acrescenta Roberto Galvão Filho.

Nos casos mais complicados, em que foi desenvolvida uma infecção por bactérias ou vírus, ele explica que o tratamento deve ser feito com antibióticos, sempre prescritos por um oftalmologista. “Também podemos recomendar fechar o olho lesado com um tampão durante alguns dias.”

Ainda sobre maquiagem, ele orienta que é fundamental verificar a validade dos produtos que serão aplicados na face. É bom evitar o compartilhamento de base, sombra, pó, pincel e lápis, além de outros itens da nécessaire. “Há mulheres que, assim que chegam a camarotes e casas de Carnaval, procuram logo uma área destinada à maquiagem, muito comum nesses espaços. É aí onde está o perigo, pois todos os produtos são compartilhados”, alerta Roberto Galvão Filho.

Entre os problemas mais comuns decorrentes do mau uso de cosméticos, estão olho seco, alergia, inflamação, irritação e contaminação da conjuntiva ou córnea. Merecem atenção especial sinais com visão embaçada, vermelhidão, coceira, sensação de areia nos olhos, lacrimejamento, inchaço das pálpebras e secreção. Se esses sintomas aparecerem, o ideal é procurar um oftalmologista.

Outro cuidado básico está relacionado à higiene ocular. É preciso remover a maquiagem de forma cuidadosa ao chegar em casa da folia, a fim de evitar o risco de os cosméticos irritarem os olhos.


FECHAR