publicidade
02/02/15
conjuntivite_destaque
conjuntivite_destaque

Conjuntivite é comum no Carnaval. Veja como prevenir a doença

02 / fev
Publicado por Cinthya Leite em Blog - 02/02/2015 às 18:02

O tratamento da maioria das conjuntivites requer compressas frias sobre os olhos e limpeza com soro fisiológico (Foto: Free Images)
O tratamento da maioria das conjuntivites requer compressas frias sobre os olhos e limpeza com soro fisiológico (Foto: Free Images)

Que Carnaval é tempo de muita festa todo mundo sabe. Mas precisamos ficar realmente atentos a alguns cuidados neste período de folia, propício ao contágio de algumas doenças como a conjuntivite, comum em épocas festivas devido à aglomeração de pessoas em um único lugar.

O problema é caracterizado por uma inflamação da conjuntiva, uma membrana transparente e fina que reveste a parte da frente do globo ocular (aquela parte branca do olho) e o interior dos olhos. Essa camada é responsável por proteger o globo ocular de corpos estranhos. Quando inflama, os pequenos vasos sanguíneos em seu interior ficam mais largos, o que causa a vermelhidão do olho.

O oftalmologista Pedro Leonardo Soriano, do Hospital de Olhos de Pernambuco (Hope), explica que há variações sintomáticas de acordo com cada tipo da doença. A conjuntivite viral (a mais comum de todas) pode durar de 7 a 15 dias, mas pode se prolongar. Apesar dos vários tipos e sintomas, existe um tratamento comum para todas as conjuntivites. De acordo com o médico, compressas frias sobre os olhos e limpeza com soro fisiológico são os principais cuidados.

Confira os tipos de conjuntivite:

– Bacteriana: Entre os sintomas, estão vermelhidão ocular,  queimação, secreção e pálpebras aderidas. O tratamento é feito com colírio antibiótico e limpeza frequente com soro fisiológico ou água mineral.

– Viral: Lacrimejamento, vermelhidão ocular, fotofobia (sensibilidade à luz), secreção aquosa e hemorragia subconjuntival são os principais sintomas.

– Alérgicas: Coceira, vermelhidão ocular e lacrimejamento estão entre os sintomas, associados a espirros e coriza.

O melhor cuidado é sempre a prevenção. “A conjuntivite viral e bacteriana são transmitidas através de contato direto com o agente, principalmente pelo toque das mãos e gotículas de saliva. O importante, então, é lavar sempre as mãos e nunca levá-las aos olhos”, explica Pedro.


FECHAR