publicidade
16/07/12
Seja acompanhada de aura ou qualquer desconforto
sentido na cabeça, a cefaleia causa mal-estar e atrapalha a qualidade de vida (Foto: Freepik)
Seja acompanhada de aura ou qualquer desconforto sentido na cabeça, a cefaleia causa mal-estar e atrapalha a qualidade de vida (Foto: Freepik)

Enxaqueca oftálmica causa sintomas que vão além da dor de cabeça

16 / jul
Publicado por Cinthya Leite em Blog - 16/07/2012 às 1:45

Náuseas, percepção de luzes em formato de zigue-zague, tontura, perda de metade do campo visual, fotofobia e dor de cabeça são sinais de um probleminha chamado de enxaqueca oftálmica, caracterizada por alterações na visão que precedem a manifestação da enxaqueca. Resolvi escrever aqui no blog sobre o assunto porque já tive algumas dessas crises, que me deixam bem tensa.

Artigo publicado no periódico Arquivos Brasileiros de Oftalmologia, do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, relata que – desde Hipócrates (400 a.C.) – há menção dos fenômenos visuais que precedem a crise de enxaqueca. Entre os antecedentes visuais frequentes nas pessoas que têm o problema, estão flashes luminosos ou linhas coloridas, que compõem a chamada aura visual.

Leia também:

Enxaqueca com aura? Entenda quando a perda parcial do campo da visão chega antes da dor de cabeça

Enxaqueca: qual a bebida alcoólica que mais causa as crises?

Amamentação diminui crises de enxaqueca no pós-parto, diz estudo 

São sinais que geralmente precedem, de fato, a dor. Por isso, é importante fazer uso de medicação para a enxaqueca nessa fase, antes que a cefaleia realmente apareça. O medicamento, vale frisar, é apenas sintomático: faz a pessoa se livrar da crise, mas não impede que tenha outras, a menos que se descubra uma causa definida.

Assista ao programa Casa Saudável sobre dor de cabeça:

“Em alguns casos, a enxaqueca oftálmica tem como causa alterações da musculatura do olho, o que favorece a fadiga ocular. Em situações como essa, recomendamos exercícios ortópticos, utilizados para estimular a função dos músculos oculares”, explica o oftalmologista Luís Fernando Dourado Paiva, do Instituto de Olhos Clóvis Paiva (IOCP), no Recife.

Ele reforça que nem todos os pacientes com o problema sentem todos os sintomas quando estão na crise. “Há quem perceba os flashes de luzes e tontura, embora não chegue a perder parte do campo visual. De qualquer maneira, esse quadro é transitório, dura pouco tempo, mas incomoda muito”, diz o médico.

“Esforço visual intenso e estresse também podem ser fatores desencadeantes da enxaqueca oftálmica”, complementa o especialista.

Quem vai ao oftalmologista com queixas de enxaqueca oftálmica passa por exames de fundo do olho e outros complementares. Se houver necessidade, o paciente é encaminhado ao neurologista, que pode encontrar outras causas e indicar outros caminhos para tratar o problema.


FECHAR