publicidade
02/02/12

TOC e Tourette: Astoc/PE promove primeiro encontro de 2012 aberto ao público em geral

02 / fev
Publicado por Cinthya Leite em Blog - 02/02/2012 às 12:22

Transtorno obsessivo-compulsivo nasce da ansiedade exacerbada. Bom saber que é possível controlar os sintomas (Fotos: Chico Porto / JC Imagem)

A Associação Brasileira de Síndrome de Tourette, Tiques e Transtorno Obsessivo-Compulsivo/Regional Pernambuco (Astoc/PE) promove amanhã (3/2), às 17h, a primeira reunião de 2012.

O encontro é destinado a quem convive com a síndrome de Tourette, tiques e transtorno obsessivo-compulsivo (mais conhecido como TOC). Com entrada gratuita e aberto ao público em geral, o evento será no 1º andar (ambulatório da psiquiatria) do Hospital Universitário Oswaldo Cruz, que fica no bairro de Santo Amaro.

Vale lembrar que o bate-papo entre os pacientes não substitui os tratamentos medicamentoso e psicoterápico seguidos por cada pessoa.

Um dos organizadores do grupo, que prefere não ser identificado, assegura que os participantes sempre sentem os benefícios que esses encontros trazem. “Não se trata de uma terapia, como todos bem sabem. O calor humano e o apoio vivido em nossas reuniões, no entanto, servem de consolo e até de ‘alimento’ para que nos fortaleçamos até a próxima conversa”, diz.

Ele ainda destaca por que a presença de cada pessoa que convive com TOC é importante. “Mesmo no seu silêncio, venha se doar um pouco para os seus irmãos que também têm TOC. Você só vai ganhar com isso”, conclui.

SAIBA MAIS

TOC

É um transtorno que pode se apresentar através de uma grande variedade de sintomas. Discute-se, inclusive, se ele constitui um único distúrbio ou um grupo de transtornos.

Preocupar-se excessivamente com limpeza (a ponto de essa inquietação atrapalhar as atividades sociais e profissionais), lavar as mãos a todo o momento, tomar banhos muito demorados, não sentar no sofá com roupas que usou na rua, revisar portas ou o gás antes de deitar, por diversas vezes, pode ser sinais de TOC, especialmente quando esses quadros são associados ao medo de que algo de muito ruim possa acontecer caso as “manias” não sejam executadas.

Considerado raro até há pouco tempo, sabe-se hoje que o TOC é um transtorno mental bastante comum, acometendo quase 3% das pessoas ao longo da vida – ou aproximadamente um em cada 40 a 60 indivíduos. No Brasil, é provável que existam cerca de 4 milhões de portadores.

Muitas dessas pessoas, embora tenham suas vidas gravemente comprometidas, nunca foram diagnosticadas e tampouco tratadas, e talvez a maioria desconheça o fato de esses sintomas constituírem uma doença.

Os portadores que buscam tratamento geralmente o fazem depois de muitos anos após o início dos sintomas, perdendo muito tempo de suas vidas fazendo rituais, além de suportarem o desconforto e o sofrimento quase permanentes que os atormentam.

TOURETTE

Em algumas situações, observamos pessoas fazendo gestos, movimentos ou barulhos que nos parecem esquisitos e sem propósito. Eles podem aparecer como parte do comportamento normal ou como algo estranho, às vezes até bizarro.

Ocorrem de forma súbita e repetitiva e têm duração curta, na maioria das vezes de apenas alguns segundos. Podem variar em intensidade e força e ocorrer em salvas ou com pequenos intervalos de tempo. Movimentos com essas características são chamados de tiques.

Quando tiques ocorrem com uma determinada frequência (critérios abordados adiante), incomodam, trazem sofrimento ou têm impacto socioemocional na vida de uma pessoa, diz-se que esta tem um transtorno de tiques que merece ser tratado.

* Quer ficar ainda mais por dentro do assunto?

Confira o blog Nossas Vidas com Tourette (www.vidacomtourette.blogspot.com) e ainda o site da Astoc (www.astoc.org.br)

Serviço:

Reunião Astoc/PE
Data e hora: 3/2, sexta-feira, às 17h
Local: Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC) – ambulatório de psiquiatria – 1º andar – Rua Arnóbio Marques, 310, Santo Amaro – Recife/PE
Informações sobre a reunião: 81 3083-4954


FECHAR