• Ramón e Kuki dão as dicas para Santa Cruz e Náutico no clássico

    Por Matheus Albino e Thiago Wagner

    Clássico, assim como todo jogo importante, é o momento em que o ídolo, aquele jogador referência da equipe, tem a chance de brilho maior – seja com um gol ou um passe decisivo. Normalmente os craques gostam de jogar clássicos por causa do gostinho especial de bater o rival. Na história de Santa Cruz e Náutico não é diferente. Vários foram os que brilharam com as camisas corais e alvirrubras nos gramados pernambucanos, entre eles, Kuki, pelo lado do Timbu, e Ramón, no da Cobra Coral. Atacantes com boas memórias do confronto e sugestões para os futuros personagens do duelo deste sábado, no Arruda, pela Série B.

    “A minha melhor lembrança de jogo contra o Náutico foi a final do Pernambucano de 1970. Ganhamos com um gol meu e de Cuíca, no Arruda. Foi o ano do bicampeonato nosso”, disse Ramón, que foi artilheiro do Brasileirão com a camisa do Santa Cruz em 1973.

    Com experiência de vários Clássicos das Emoções, o ex-artilheiro coral dá a dica para o sucesso dos tricolores no jogo de sábado. Pede que os atletas se cuidem ao máximo. “Tem que ficar concentrado totalmente. Clássico sempre é equilibrado e difícil, por mais que uma das equipes não esteja bem. É o melhor momento do ano”.

    Ramón só não quis arriscar um palpite para a partida. “Sou ruim de apontar um vencedor ou placar. Mas vou ficar na torcida pelo Santa Cruz como sempre fiz”, afirmou o ex-jogador, que promete ir ao Arruda no sábado.

    Do outro lado, Kuki, que marcou 184 gols e foi tricampeão Pernambucano com a camisa Alvirrubra (2001, 2002 e 2004) acredita que o time do técnico Sidney Moraes não pode pensar em outro resultado que não seja de vitória, principalmente para embalar de vez na Série B. E que ninguém está falando no jejum de vitórias no Arruda que dura desde 2009.

    “Vamos em busca da vitória, até o Santa Cruz não pensa em outro resultado que não seja positivo. Ninguém veio falar sobre tabu até porque eles não participaram dos últimos jogos, apenas o Elicarlos. Temos que respeitar o adversário mas sempre pensando na vitória”, declarou Kuki, que faz parte da atual comissão técnico do Timbu.

    Ainda que muitos jogadores não tenham experiência nesse clássico pernambucano, os veteranos podem assumir a responsabilidade no entendimento do ex-atacante. Elicarlos e Alessandro deverão comandar o time em campo. “São peças novas e o mais experiente nesse clássico é o Elicarlos, o Alessandro também jogou contra o Santa Cruz. Mas os jogadores já disputaram clássicos em outras equipes e sabem bem como é esse tipo de jogo e não será obstáculo”, afirmou.

  • Leo Gamalho diz que Santa não pode mais errar

     Foto: Diego Nigro/JC Imagem

    Foto: Diego Nigro/JC Imagem

    Do JC Online

    O atacante Leo Gamalho costuma afirmar que o Santa Cruz está acima das suas pretensões individuais. Ele tem uma certa razão. Afinal, o avante marcou dois gols diante do Santa Rita-AL, deixou o time à frente do placar por 2×1, mas no final, a equipe amargou uma virada para 3×2, no jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil, quarta-feira passada, em Maceió. Neste sábado, o desafio é maior. É o clássico contra o Náutico, às 16h20, no Arruda, pela 15ª rodada da Série B do Brasileiro.

    No último confronto diante dos alvirrubros, Leo Gamalho brilhou na vitória por 5×3, na Arena Pernambuco, quando marcou dois gols, um deles um golaço por cobertura, em jogo do Pernambucano, dia 23 de março.

    Na verdade, Gamalho tem sido fundamental para o time. Ele é o artilheiro na temporada com 21 gols, em 34 jogos, incluindo o gol que ganhou de presente do árbitro cearense Avelar Rodrigo da Silva, que computou para ele o tento marcado por Flávio Caça-Rato na vitória por 3×1 sobre o Lagarto-SE, em partida da Copa do Brasil, no dia 7 de maio.

    A boa fase não tira o foco do artilheiro. Ao contrário, lamentou a derrota para o Santa Rita, mas a atenção passou a ser o Náutico. “O desafio é o Náutico. A derrota para o Santa Rita tem que servir de lição. Não podemos errar em um clássico e qualquer falha é fatal. A nossa cota de erros está acabando”, analisou.

    SEM TEMPO
    O técnico Sérgio Guedes, por seu lado, não teve muito tempo para preparar o time. Em seguida ao jogo diante do América-RN, dia 2, em Natal, quando o time venceu por 1×0, foi a vez do Santa Rita, em Maceió. A delegação só retornou ao Recife, na tarde desta quinta-feira (7), devido ao horário da partida, que ocorreu às 22h. A rigor, o comandante tricolor só terá, esta manhã de sexta-feira, com os portões fechados, para realizar um treino.

    Para o clássico, o comandante coral não conta com Danilo Pires, suspenso devido ao terceiro cartão amarelo. O substituto ainda não foi confirmado. O técnico tem como opção os volantes Bileu e Memo. Mas pode decidir escalar um meia mais ofensivo. A dúvida é entre Wescley e Natan.

  • Náutico: Tadeu espera Arruda lotado e diz: “Gosto de jogos assim”

     Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

    Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

    O Arruda deve receber um bom público no clássico deste sábado entre Santa Cruz e Náutico pela Série B do Campeonato Brasileiro. O clássico das emoções, marcado para as 16h20, é cercado de mistério e expectativa de ambos os lados. Pelo Timbu, o atacante Tadeu, principal esperança de gols, espera ver o estádio lotado, bem diferente do público que está acostumado a ver na Arena PE.

    “Melhor jogar no Arruda lotado do que na Arena vazia. Eu gosto de jogo assim”, declarou. Mesmo assim, ele espera que o torcedor alvirrubro compareça em bom número para apoiar o time. E que a expectativa é de um jogo com muitos gols.

    “Espero que o nosso torcedor possa ir ao Arruda porque vai ser importante o apoio deles. Vai ser um jogo de muitos gols pois são duas equipes que atacam bem”, disse. Num clássico o peso de marcar um gol é maior então quero contribuir para o time marcando gols”, encerrou.

  • Confira os destaques do Blog do Torcedor nesta quinta

    destaques

    Sua internet caiu durante o dia e você não conseguiu ler a notícia do momento do seu clube? Não tem problema, o Blog do Torcedor não deixa você perder nada do futebol pernambucano. Confira abaixo o que rolou de mais importante na gente:

    > Sport x Torcida Jovem – clube na briga contra a torcida organizada

    > Advogado da Torcida Jovem explica processo contra o Sport

    > Reunião vai definir detalhes da homenagem a Kuki

    > Bartolomeu Bueno apoiará Alírio Moraes nas eleições do Santa Cruz

    > Sport ainda tenta jogador “midiático”

    > Náutico: Sidney faz treino tático, mas não revela time titular

    > Das últimas quatro derrotas do Santa, três foram de virada

    > Sport foi o pernambucano com maior receita em 2013

  • Bartolomeu Bueno apoiará Alírio Moraes nas eleições do Santa Cruz

    Apesar do afastamento da gestão do presidente Antônio Luiz Neto no Santa Cruz, Bartolomeu Bueno, que é presidente de honra do Conselho Deliberativo do clube, pretende apoiar o nome de Alírio Moraes nas eleições do Tricolor, marcada para o fim do ano. Alírio foi convidado por Luiz Neto e possivelmente será o candidato da situação.

    “A tendência é que eu apoie Alírio Moraes. É um nome que agrega muito ao clube. Apoio pelas qualidades que vejo nele. Se conseguir agregar os tricolores, tem tudo para fazer uma boa gestão”, disse Bueno ao Blog do Torcedor.

    LEIA MAIS:
    >> Santa Cruz – surge nome forte para substituir Antônio Luiz Neto

    >> Presidente do Santa Cruz elogia possível substituto no clube

    >> Alírio Moraes confirma interesse em ser candidato no Santa Cruz

    Como argumento para tal apoio, Bartolomeu aponta a capacidade de Moraes para estruturar o Santa Cruz financeiramente. “Ele pode conseguir patrocínios e tem condições de reduzir nossas dívidas”.

    Mesmo que o nome da situação não seja o de Alírio, Bueno destaca que não pretende fazer oposição. Só admitiu que permaneceria afastado. “Se os nomes da chapa da situação não me agradarem, eu posso ficar mais distante. Não quero fazer oposição até porque fiz parte desse grupo. Quero que Antônio lance um ótimo candidato”, afirmou Bartolomeu, que se afastou da atual gestão por discordar de questões administrativas.

  • Além do Arruda, Santa Cruz precisa de atitude para reagir

    Tricolor terá três jogos seguidos no próprio estádio. Foto: Diego Nigro/JC Imagem

    Tricolor terá três jogos seguidos no próprio estádio. Foto: Diego Nigro/JC Imagem

    Vindo de derrota na Copa do Brasil, para o Santa Rita nessa quarta-feira, o Santa Cruz tem a chance de reação nos próximos três jogos que tem pela frente. Serão partidas seguidas no Arruda – contra Náutico, o próprio Santa Rita e Bragantino – e a oportunidade de voltar ficar em paz com o torcedor.  Só que mais do que se apegar ao fator casa, os corais precisam de atitude no gramado.

    No últimos jogos, faltou imposição ao Santa Cruz, principalmente quando tinha a vantagem no placar. Contra o Santa Rita, por exemplo, o Tricolor chegou a ter 2×1 favorável no placar, mas não teve capacidade para administrar a vantagem, ou até mesmo para ampliá-la. Acabou derrotado por 3×2. O cenário foi similar ao jogo contra o Ceará.

    As falhas mostradas recentemente não podem se repetir no Clássico das Emoções. É momento de observar os erros e corrigir. Concentração no gramado é palavra de ordem na equipe de Sérgio Guedes, que vem oscilando bastante. Um bom futebol contra o Náutico, e nas partidas seguintes em casa, pode trazer a torcida de volta durante a temporada. A chance é de ouro e não pode ser perdida pelos corais.

    Em 2014, foram 18 jogos do Santa no Arruda com nove vitórias, seis empates e três derrotas. O aproveitamento é de 57,8% na temporada. Foram 34 gols marcados contra 16 sofridos. Somente em quatro oportunidades tomou mais de um gol – vitória de 4×2 sobre o Central, nas derrotas de 2×1 para Sport e Salgueiro e na de 3×2 para o Ceará.

  • Técnico do Náutico acha que Santa Cruz tem vantagem no clássico

    Para o técnico do Náutico, Sidney Moraes, o Santa Cruz tem um leve vantagem no clássico deste sábado, às 16h20, no Arruda, pela Série B. O argumento do treinador para tal afirmação é que os corais possuem uma equipe que joga mais tempo junta, ao contrário dos alvirrubros, que são um time em formação.

    “Santa tem vantagem porque os jogadores se conhecem bem. A gente ainda procura uma formação tática. Às vezes pensa em algo e tem que mudar durante a competição”, disse Sidney para o radialista Maciel Júnior, da Rádio Jornal e do Programa Replay, da TV Jornal.

    LEIA MAIS:
    > Expectativa dos presidentes de Santa e Náutico para o Clássico

    > Clássico das Emoções – Sérgio Guedes já foi técnico de Sidney Moraes

    O técnico ainda avaliou que a Série B é uma competição que exige mais no aspecto da marcação e que chegou o momento do Náutico se unir para conseguir o objetivo do acesso para a Série A. O bate-papo completo com Sidney pode ser conferido no vídeo acima.

  • Confira os gols de Santa Rita 3×2 Santa Cruz

Página 28 de 111« Primeira...1020...2627282930...405060...Última »