• Náutico mostrou por que está na frente do Santa Cruz na tabela da Série B

    Guilherme (camisa 2) marcou um dos gols alvirrubros. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

    Guilherme (camisa 2) marcou um dos gols alvirrubros. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

    Dizem que clássico não tem favorito pela rivalidade envolvida entre os clubes. Faz sentido, mas com o perdão de quem pensa isso, o Náutico mostrou que está em um estágio na frente do Santa Cruz nesta Série B. Não só por ter batido o Tricolor por 2×1 na Arena Pernambuco, neste sábado, mas pelo modo como construiu a vitória, com eficiência na marcação e muita organização no ataque, mesmo com um homem a menos em parte do jogo. Aos corais, restaram as jogadas individuais, que convenhamos é muito pouco para quem deseja subir de divisão. Melhor para o Timbu, que mostrou o motivo de estar na frente na classificação e ainda garantiu recuperação na Segundona. Guilherme e Gil Mineiro marcaram para os alvirrubros, enquanto Anderson Aquino anotou o dos visitantes.

    Com a vitória, ganhou a moral de vencer o rival no clássico e a de garantir a terceira colocação na classificação com 24 pontos, os mesmos do líder Botafogo. Na próxima rodada, essa confiança vai ser posta em prova justamente contra os cariocas, fora de casa. Antes disso, há o Flamengo, pela Copa do Brasil, na quarta-feira. Já o Santa Cruz cai para 12º com 15. O Tricolor encara o Atlético-GO, em casa.

    LEIA MAIS:
    > Confira a vitória do Náutico nas lentes da JC Imagem

    > Nas Ondas do Rádio: Ouça os gols da vitória do Náutico

    > Lisca elogia postura do Náutico e volta a criticar arbitragem

    Marcação do Náutico mostra sua força

    A vitória do Náutico foi construída com uma fórmula que vem sendo o ponto alto do time nesta Série B: a aposta na marcação. O Timbu entrou ligado no gramado e não deu espaços para o Tricolor, que teve muitas dificuldades para sair do próprio campo em muitos momentos. Por conta disso, foram muitos lançamentos dos corais, e muitos erros também. Melhor para os alvirrubros, que tiveram mais a bola nos pés e trabalharam ela melhor na Arena Pernambuco.

    Sendo assim, as melhores chances vieram do lado do Náutico. No primeiro tempo só deu os donos da casa, que já poderiam ter aberto o placar. Ao Santa Cruz, apenas jogadas individuais com Renatinho e Anderson Aquino. Apesar da superioridade, o gol alvirubro saiu com a bola parada – em cobrança de falta de Guilherme aos 7 da segunda etapa.

    Foto: Edmar Melo/JC Imagem

    Foto: Edmar Melo/JC Imagem

    Só que a marcação alvirrubra deu vacilo em dois lances que poderiam ser decisivos para o confronto. Deu bobeira em falta dentro da área, que a arbitragem marcou pênalti convertido por Aquino, e deixou espaço para que o atacante coral saísse na cara do goleiro. Ronaldo Alves teve que cometer a falta e ser expulso. Mas mesmo assim, o Timbu manteve a organização. Esse aspecto foi fundamental para a vitória, tanto que nem parecia que a equipe de Lisca estava com um menos. Depois da saída de Ronaldo, foram chances e chances criadas de maneira seguida. Assim, não teve como os tricolores aguentarem. Aos 28 minutos da segunda etapa, Gil Mineiro aproveitou bola na entrada da área e fez a festa dos donos da casa. Coube ao Náutico administrar a vantagem e garantir o resultado.

    Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

    Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

    FICHA DA PARTIDA – NÁUTICO 2X1 SANTA CRUZ

    Náutico: Júlio César; Guilherme, Ronaldo Alves, Fabiano Eller e Fillipe Soutto; João Ananias, Marino, Willian Magrão e Rogerinho (Josimar); Douglas (Renato) e Stéfano Yuri (Gil Mineiro). Técnico: Lisca.

    Santa Cruz: Fred; Bruninho (Nininho), Néris, Danny Moraes (Moradei) e Marlon; Wellington Cézar, Renatinho, João Paulo e Lelê; Anderson Aquino e Luizinho (Nathan). Técnico: Marcelo Martelotte.

    Série B (12°rodada). Local: Arena Pernambuco (São Lourenço da Mata-PE). Árbitro: Sebastião Rufino Filho. Assistentes: Francisco Chaves Bezerra Junior e Clóvis Amaral. Gols: Guilherme (N) aos 7 e Anderson Aquino (SC) aos 13 e Gil Mineiro (N) aos 27 minutos do segundo tempo. Amarelos: Danny Moraes (SC), Renatinho (SC), Natham (SC) João Paulo (SC) e Wellington Cézar (SC). Vermelho: Ronaldo Alves (N). Público: 12.085. Renda: R$ 286.105,00.

  • Martelotte vê rivais equilibrados para o clássico

    Martelotte confirma Santa com Luisinho nos titulares

    Martelotte confirma Santa com Luisinho nos titulares

    Por Felipe Amorim da editoria de esportes do Jornal do Commercio

    Ao longo da semana, muito se falou sobre o atual momento de Santa Cruz e Náutico na Série B. Enquanto os tricolores estão numa crescente, os alvirrubros lutam para a queda ser paralisada. Só que para o técnico tricolor Marcelo Martelotte, nada disso será levado em conta no clássico deste sábado (11), na Arena Pernambuco. Para ele, tudo será equivalido quando as equipes entrarem em campo.

    Questionado se o Santa Cruz entraria em campo como favorito, uma vez que o Náutico vem de uma frustrante derrota por 2×1 para o lanterna Mogi Mirim e de ter vencido apenas um jogo nos últimos cinco, ele afirmou que não. Leia a matéria completa aqui.

  • Lisca evita polêmica e apenas deseja sorte a arbitragem

    Técnico tem evitado polêmicas com arbitragem. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

    Técnico tem evitado polêmicas com arbitragem. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

    O técnico Lisca tem se esforçado bastante para não criticar a arbitragem dos jogos do Náutico afim de evitar expulsões por reclamação. Este ano já foi retirado do banco de reservas três vezes – Jacuipense, Copa BR, e outras duas contra o Salgueiro (Nordestão e Pernambucano).

    Leia mais:  Lisca adota mistério e não revela quem joga o clássico

    Clássico das Emoções e dos ‘meninos de Lisca’

    William evita falar do Flamengo e pede foco no clássico

    Rogerinho diz estar bem fisicamente e quer jogar o clássico

    Quem vai ganhar o Clássico das Emoções?

    Júlio César pede foco no Santa e convoca alvirrubros

    Sobre o árbitro Sebastião Rufino Filho, da Federação Pernambucana de Futebol, escalado para comandar o Clássico das Emoções deste sábado, o técnico apenas desejou sorte e não se estendeu sobre o assunto. “Desejo sorte grande ao trio de arbitragem. Que estejam num dia tranquilo e façam um bom trabalho.”

    “Tenho me portado bem com os árbitros e reclamado o mínimo possível. Vi o jogo do Fluminense (contra o Cruzeiro nesta quinta-feira 09) e o Enderson Moreira foi expulso sem ofender o árbitro (Heber Roberto Lopes). O Héber poderia administrar de outra forma, mas há uma recomendação e temos que nos orientar da melhor forma possível para não tomar cartão de graça”, comentou.

    Já as torcidas de Santa Cruz e Náutico se mostraram preocupadas com o árbitro pernambucano. Nas redes sociais a repercussão foi grande e a maioria não aprovou a escolha.  Entre as diretorias não houve contestações nem pedidos para que um árbitro de outra federação apitasse o clássico.

    print arbitrsg ok

  • Os professores fecharam o treino, ok, mas pouco adianta

    É hora do Santa Cruz pensar jogo a jogo

    Treino secreto funciona?

    Quem disser que sabe a resposta está mentindo, mas eu suspeito que não faz a mínima diferença e os treinadores hoje em dia elegem a estratégia mais para seguir uma tendência, uma modinha, do que esperando um resultado prático.

    Afinal, nem o melhor dos treinadores comandando o melhor dos elencos é capaz de num lance de alquimia transformar chumbo em ouro num único dia de trabalho. E convenhamos, se fosse esse tampa de Crush todo, não carecia fechar o treino.

    Mágico que é mágico, faz o truque na frente da plateia.

    Os treinadores de Náutico e Santa Cruz fecharam o respectivos treinos, mas apesar da imprensa não ter acesso, é possível chegar a uma conclusão bem clara: os tricolores estão mais confiantes.

    Pois se o técnico coral, Marcelo Martelotte, proibiu a entrada da imprensa, em contrapartida divulgou o time, sem surpresas e com uma tranquilidade que denuncia a confiança em fazer uma boa apresentação. Por que fechar? Para ter mais privacidade, explicou, o que é de Deus.

    Foto: Diego Nigro/JC Imagem

    Foto: Diego Nigro/JC Imagem

    Já Lisca está um pouco mais tenso, o que vamos combinar, é natural, pois instinto-aranha é meio marca registrada dele. Antes de treinar o time, já sabia a escalação do adversário e, mesmo assim, manteve o silêncio em relação a quem coloca em campo. Escondendo o jogo? Ou dúvida do que fazer?

    A verdade é que nem a confiança de Martelotte, nem a desconfiança de Lisca será determinante no clássico, pois e pouco provável que o placar seja definido pelo que ocorreu por trás dos portões do Arruda e da Guabiraba nesta sexta (10).

    O embate desse sábado (11) é o resultao de uma sequência de dias de trabalho e de execução dos mesmos em campo e, aí não tem segredo algum, o Santa Cruz chega um pouco mais inteiro na partida pelo passado recente de vitórias e superação, enquanto o Náutico começou a esconder o jogo bem antes do tal treino secreto, já contra o Mogi.

  • Clássico das Emoções e dos ‘meninos de Lisca’

    lisca e os meninos

    Lisca observa treino ao lado de Abel Braga nos tempos de Internacional. Abaixo alguns jogadores que trabalharam com o treinador no Colorado

    Antes de chegar ao profissional o técnico Lisca passou anos trabalhando nas categorias de base de Grêmio e Internacional, além de outros clubes. Na dupla gaúcha o treinador acompanhou o crescimento de alguns garotos que alcançaram o profissionalismo e serão os protagonistas do Clássico das Emoções deste sábado na Arena PE, entre Náutico e Santa Cruz.

    No lado coral, Danny Morais, Moisés (afastado do time), João Paulo, Guilherme Biteco e Nathan tiveram Lisca como um dos primeiros professores no futebol. Outro que trabalhou com ele foi o atacante Waldison. Mas, o gaúcho espera que seus alunos não coloquem em prática tudo o que aprenderam com ele na base.

    “É bem legal participar de um clássico como esse vendo grandes meninos que trabalharam comigo. O João eu tenho um carinho especial por ele porque vi ele crescendo do infantil para o juvenil e depois para os juniores. Não teve espaço no profissional e veio buscar espaço num grande mercado que é aqui em Pernambuco. Espero que ele amanhã tenha o pior dia dele aqui (risos) e depois siga desenvolvendo o trabalho dele pois torço muito por isso”, disse.

    Guilherme Biteco também trabalhou com Lisca, mas no Grêmio

    Guilherme Biteco também trabalhou com Lisca, mas no Grêmio

    Se somarmos com os jogadores do Náutico que também trabalharam com Lisca em outros clubes, seja na base ou no profissional, daria quase um time completo, faltando apenas o goleiro. Na defesa – Moisés (encostado no Santa Cruz), Danny Morais, Ronaldo Alves (Fabiano Eller) e Biteco (improvisado na esquerda); William Magrão, Pedro Carmona, João Paulo e Rogerinho (Hiltinho); Douglas e Nathan (Waldison).

  • Replay – Náutico e Santa Cruz prontos para o Clássico das Emoções

  • Replay – Torcedômetro para o Clássico das Emoções

  • Martelotte confirma Santa com Luisinho nos titulares

    Martelotte já conseguiu três vitórias no comando do Santa Foto: Guga Matos/JC Imagem

    Martelotte já conseguiu três vitórias no comando do Santa Foto: Guga Matos/JC Imagem

    Por Felipe Amorim da editoria de esportes do Jornal do Commercio

    Sem cerimônia alguma, o técnico do Santa Cruz, Marcelo Martelotte, antecipou nesta sexta-feira (10) com qual equipe entrará em campo para enfrentar o Náutico, sábado (11), na Arena Pernambuco. O time terá duas alterações e a principal novidade será a entrada de Luisinho no ataque na vaga de Nathan.

    “O time é o mesmo da rodada passada, com as entradas de Neris no lugar de Sacoman (suspenso) e de Luisinho na vaga de Nathan. Bruninho permanece na lateral direita”, afirmou Martelotte. Leia a matéria completa aqui.