• Santa Cruz vai arcar com R$ 20 mil dos salários de Aílton

    O diretor de futebol do Santa Cruz, Jomar Rocha, confirmou os percentuais do pagamento do salário do meia Aílton, que assinou contrato com o tricolor na manhã desta terça-feira (23). O tricolor fica responsável pelo seu teto na atual temporada, que é de R$ 20 mil. Metade dos R$ 60 mil – R$ 30 mil – sai do bolso do Sport, clube que cedeu o jogador por empréstimo. Os R$ 10 mil restantes serão assumidos pela Federação Pernambucana de Futebol.

    “O contrato tem uma cláusula de confidencialidade, mas é por aí. Ele vai ser jogador da gente e o Santa Cruz vai ter que gastar”, disse Jomar, em entrevista ao repórter Leonardo Bóris, da Rádio Jornal. Além disso, o atleta já tem um pré-contrato de um ano, mas este só vai ter validade quando terminar o compromisso atual e, claro, depender de uma nova negociação.

  • Santa Cruz quer contratar três jogadores

    Foto: Acervo/JC Imagem

    Foto: Acervo/JC Imagem

    Com a chegada do técnico Oliveira Canindé, o elenco do Santa Cruz pode sofrer alguns ajustes para o restante da Série B.

    A diretoria pretende liberar e contratar alguns jogadores.

    “Nós estamos conversando e precisamos de um zagueiro, um jogador para a proteção de área e quem sabe um atacante. Isso vai depender principalmente de critérios financeiros. É bem possível que a gente consiga reforçar o elenco”, explicou o diretor de futebol Constantino Júnior.

    Alguns atletas podem chegar e outros também podem sair do clube. A diretoria prefere não usar o termo “dispensa”.

    “Na verdade é uma readequação no elenco. Não vamos dispensar, mas sim tentar readequar o time, conseguindo times para alguns jogadores que não estão tendo oportunidade”, avisou Constantino.

    O limite para as contratações na Série B vai até a próxima sexta feira.

  • Aílton assinou contrato com o Santa Cruz

    Foto: Thiago Wagner/Blog do Torcedor

    Foto: Thiago Wagner/Blog do Torcedor

    O meia Aílton finalmente assinou contrato com o Santa Cruz e já começa a treinar nesta terça feira.

    O jogador foi emprestado pelo Sport até o final do ano. O clube rubro-negro vai ficar responsável pelo pagamento de 50% do salário de Aílton.

    ” Aílton assinou o contrato, foi emprestado até o final do ano pelo Sport e já começa a treinar hoje. O Sport vai ficar responsável pelo pagamento de parte do salário e e a outra parte nós vamos pagar através de algumas parcerias”, explicou o diretor de futebol Constantino Júnior.

     

  • Tricolor no estádio do Boca Juniors

    santacruz-boca

    O tricolor Ricardo Oliveira leva as cores do Santa Cruz para o estádio La Bombonera, do Boca Juniors, da Argentina.

    Quer ver sua foto no Blog do Torcedor? Envie a imagem para blogdotorcedor@ne10.com.br.

  • Santa Cruz: Tony e Danilo Pires com mais liberdade para chegar ao ataque

    Foto: Diego Nigro/JC Imagem

    Foto: Diego Nigro/JC Imagem

    Sem tempo para fazer modificações na equipe, o técnico do Santa Cruz, Oliveira Canindé, vai repetir a mesma equipe que enfrentou o Icasa, para a próxima partida da Série B, contra o Oeste-SP, no Arruda. As mudanças serão apenas táticas e de atitude. O lateral-direito Tony e o volante Danilo Pires receberam ordens do treinador para chegar mais ao ataque.

    O lateral comemorou a ordem do técnico e espera repetir a parceria com Léo Gamalho que foi importante na vitória sobre a Portuguesa, a última na Série B. Naquele jogo, Tony acertou um cruzamento na cabeça do camisa 9, que não titubeou e mandou para as redes. “Ele deu um pouco mais de liberdade para atacar. Eu e o Danilo Pires temos muita força para chegar na frente. Espero acertar os cruzamentos para quem estiver na área”, afirmou.

    Foto: Diego Nigro/JC Imagem

    Foto: Diego Nigro/JC Imagem

    O Tricolor está há três jogos sem vencer na competição e se afastou do G-4 que classifica para a Série A. Foram duas derrotas fora de cas e um empate no Arruda. Nos três, o Santa saiu na frente mas não conseguiu segurar a vitória. “Estamos fazendo de tudo para vencer, o time está jogando bem mas infelizmente não está dando certo. Não fomos bem nessas últimas rodadas e agora temos que estar bem concentrados para vencer o Oeste”, afirmou.

  • Confira os destaques desta segunda-feira no Blog do Torcedor

    destaques_2209

    A apresentação do técnico Oliveira Canindé no Santa Cruz dominou o noticiário futebolístico. Mas o Blog do Torcedor também trouxe notícias para rubro-negros e alvirrubros, como as novelas Pedro Carmona e Régis.

    Veja tudo aqui:

    » Os campeões de empates da Série B

    » A invencibilidade do Sport

    » Os principais trechos da entrevista de Oliveira Canindé

    » A reeleição de Evandro Carvalho

    » Régis vai demorar um pouco mais

    » Sport pede desculpas aos sócios

    » Náutico pode ter Gáston Filgueira em breve

    » No aguardo da resposta de Carmona

     

     

  • Santa Cruz, Vasco e Portuguesa respondem por quase 25% dos empates da Série B

    Foto: Marcelo Sadio - Vasco.com.br

    Santa Cruz e Vasco são dois dos três maiores empatadores da Série B. Foto: Marcelo Sadio – Vasco.com.br

    Advertência: a palavra empate será repetida exaustivamente ao longo da matéria tamanhos são os… empates dos envolvidos.

    Aviso posto, vamos aos fatos. Há um triplo empate dos campeões do empate. Vasco, Santa Cruz e Portuguesa saíram de campo sem vencer nem serem vencidos nada menos que dez vezes na Série B 2014. Esse resultado representa 43,4% dos jogos do time pernambucano na competição. Dos outros, o índice é de 41,6%. A explicação é que o Santa tem um jogo a menos (23×24). Por coincidência, o Time do Povo e os rubro-verdes alcançaram a marca na mesma 24ª rodada.

    Junto, o trio responde por quase um quarto dos empates do campeonato. Mais precisamente 24,5% de tudo que terminou como começou. Duas outras equipes estão bem próximas. O Oeste e o Sampaio Corrêa já empataram nove vezes. O que chama a atenção em tricolores, lusos e vascaínos é que, apesar de iguais nas igualdades, eles ocupam posições bem diferentes na classificação: um no topo, um no meio e outro no fim.

    O 11º colocado Santa Cruz está no meio da lista pelo equilíbrio entre vitórias e derrotas. Até agora venceu sete vezes e perdeu outras seis. O aproveitamento é de 45%.

    O tricolor iniciou a Série B impressionando na repetição das igualdades. Nas sete primeiras rodadas, o time não vez nada a não ser empatar. Foram seis vezes por 1×1 e um 0x0. O mais curioso é que essa síndrome fez o time pernambucano segurar a mais longa série sem derrota da Segundona, algo que ninguém no Arruda ostentava até chegar a primeira vitória, o 2×0 em cima do Boa, no dia 27 de maio.

    Mais dois triunfos seguidos, contra Joinville e Ponte Preta mudaram completamente o jogo e a “empatite” – neologismo criado da fusão entre empate e a doença hepatite – virou invencibilidade. Depois o time entrou numa gangorra de vitórias e derrotas até conseguir dois empates seguidos com Sampaio Corrêa e Avaí. Já distantes daquele início estranhos, os resultados foram considerados positivos. “Ponto conquistado fora de casa é sempre importante” e declarações semelhantes eram ouvidas.

    O Vasco está no G4, em quarto lugar, porque apesar dos empates conseguiu vencer bem mais do que perdeu. Foram 11 triunfos contra apenas três derrotas. Para ter uma ideia, o líder Joinville perdeu seis vezes até agora. Já a Lusa vive o outro lado da moeda. Os dez empates representam pouco mais da metade de seus 19 pontos. É o time que menos venceu, apenas três.

    Veja os dez empates do Santa

    Santa Cruz 1×1 ABC
    Portuguesa 1×1 Santa Cruz
    Santa Cruz 1×1 Paraná
    Santa Cruz 0x0 Luverdense
    Icasa 1×1 Santa Cruz
    Oeste 1×1 Santa Cruz
    Santa Cruz 1×1 América Mineiro
    Sampaio Corrêa 0x0 Santa Cruz
    Avaí 0x0 Santa Cruz
    Santa Cruz 1×1 Icasa

  • Santa Cruz: confira os principais trechos da entrevista de Oliveira Canindé

    Oliveira Canindé. Foto: Matheus Albino - Blog do Torcedor

    Oliveira Canindé. Foto: Matheus Albino – Blog do Torcedor

    O novo técnico do Santa Cruz, Oliveira Canindé, foi apresentado oficialmente nesta segunda-feira no clube, e chegou bastante motivado
    para a sua nova missão na carreira e, talvez, a mais difícil de todas. Os pontos positivos para a sua contratação, segundo a diretoria
    do Santa, foram os bons trabalhos em clubes de menor expressão e de orçamento baixo, como o Guarany de Sobral, América-RN, CSA e
    Campinense. Confira abaixo os principais trechos da entrevista coletiva de apresentação do novo técnico:

    O clube

    O Santa Cruz mexe com o brio de qualquer atleta e para jogar num clube de torcida grande é necessário saber jogar com o
    torcedor. Sempre sonhei em treinar o Santa um dia. Estive aqui em 2010 com o Guarany de Sobral (Série D do Brasileiro) e me lembro que
    não consegui passar instruções aos jogadores por causa do barulho da torcida. Ali, pensei – ‘um dia vou comandar esse time’, e esse dia chegou. Espero estar preparado para outos desafios.

    Primeiras impressões do elenco

    Foto: Matheus Albino - Blog do Torcedor

    Foto: Matheus Albino – Blog do Torcedor

    “Gostei muito do grupo, conheço a maioria posi já joguei contra muitos deles. Todos assimilaram de imediato o que eu pedi e aos poucos vamos colocando o que queremos e eles vão entendendo”.

    Meta para a Série B

    “Se o acesso é o que desejamos, vamos nos empenhar para conquistá-lo. Mas a resposta tem que ser dentro de campo, jogando e, espero que isso aconteça. Estamos longe da zona de rebaixamento e do G-4, mas neste momento o pensamento é de brigar pelo acesso”

    Reforços

    Foto: Matheus Albino - Blog do Torcedor

    Foto: Matheus Albino – Blog do Torcedor

    Conversamos muito com a diretoria sobre reforços. Estamos muito próximos da data final e temos que acertar em cheio nos reforços. Mas também temos que trabalhar com os que estão aqui, às vezes o reforço está dentro do elenco. Jogadores encostados ou machucados podem voltar e ajudar o time, muito mais do que possíveis reforços que chegariam fora de ritmo ou desentrosados com o elenco”.

    Opinião sobre a torcida

    “Quando você trabalha num clube com uma torcida como a do Santa, você tem que fazer o máximo para que represente bem o torcedor, temos que fazer com que ele também sinta-se representado pelo clube. A torcida do Santa é a maior do Nordeste, não tem outra que se compare, é como o Flamengo no Brasil”.