publicidade
14/09/18
af54160376ad01b63f5a4d63ac99bf53
af54160376ad01b63f5a4d63ac99bf53

Com R$ 85 mi em dívidas, passivo é desafio da direção do Santa Cruz

14 / set
Publicado por Haim Ferreira em Notícias às 18:08

Por: Davi Saboya

O maior calo do Santa Cruz está na grande quantidade de dívidas diante da escassez de recursos. O maior passivo é o trabalhista que está em cerca de R$ 60 milhões. Segundo o coordenador do núcleo de gestão Roberto Freire, é o único que ainda não foi negociado. Já o débito tributário está estimado em R$ 25 milhões.

Esse sob controle devido à participação do clube no Profut, que é um programa do Governo Federal de parcelamento das dívidas tributárias. Outra via para a Cobra Coral cumprir com os compromissos fiscais é a Timemania. O valor arrecadado na loteria é considerado um dos maiores pela direção e destinado diretamente ao pagamento das dívidas federais.

“Dividimos o passivo do Santa Cruz em quatro grupos: funcionários, fornecedores, tributário e trabalhista. Os três primeiros estão controlados. Posso dizer que o tributário vamos reduzir em R$ 2,5 milhões. Isso para um clube que vai faturar R$ 7 milhões. Se chegar em mais, atinge R$ 8 milhões. E como fizemos isso? Com gente que conhece, sabe o que está fazendo. No total, vamos pagar de R$ 1 a R$ 3 milhões de passivo neste ano”, declarou Roberto.

Desde o início do ano, o Santa Cruz tem enxugado os departamentos e controlado as despesas com fornecedores. Esses distratos não estão sendo feitos de qualquer maneira, de acordo com o coordenador do núcleo de gestão. A Cobra Coral está cumprindo todos os acordos feitos para não prolongar as dívidas.

“Com os funcionários, estamos negociando e pagando. Os fornecedores a mesma coisa. Chamamos um por um. Esse ano terminaremos sem dívidas. O que tiver de sobra de caixa vamos fazer as composições necessárias”, contou.

Possibilidade

Roberto Freire ainda lamentou o fracasso na Série C, pois renderia um grande aporte financeiro. “Se tivéssemos conseguido o acesso, chegaríamos em R$ 20 milhões. Com isso, iríamos poder atacar a dívida trabalhista. Existe o que se chama leilão da dívida. Se chegar lá com R$ 10 milhões (para pagar), abaixa para R$ 30 milhões o total (da dívida)”, finalizou.


FECHAR