publicidade
13/06/18
O estádio Luzhiniki será o palco da abertura da Copa.
O estádio Luzhiniki será o palco da abertura da Copa.

Rússia será a capital mundial do futebol a partir desta quinta-feira

13 / jun
Publicado por Wladmir Paulino em Notícias às 20:37

Depois de quatro anos, uma nova oportunidade para 32 seleções levantar o troféu mais cobiçado do planeta tem endereço certo: o estádio Luzhiniki, em Moscou, Rússia, local da abertura da 21ª edição da Copa do Mundo. O evento está previsto para começar a partir das 11h30, com uma discreta cerimônia de abertura, que não deve durar mais do que meia hora. Em seguida, a seleção da casa e a Arábia Saudita dão o pontapé inicial para o primeiro dos 64 jogos.

Uma das maiores ausências da festa de abertura será justamente o maior de todos. Com problemas de saúde, Pelé não estará presente no evento inaugural desde sua estreia no Mundial, ainda como atleta, em 1958. Sem o Rei, o destaque brasileiro será o ex-atacante Ronaldo Fenômeno, campeão em 1994 e 2002.

Leia mais:

Cinco curiosidades sobre a Rússia, anfitriã da Copa do Mundo

Japão na Copa: Samurais Azuis chegam e completam lista de seleções na Rússia

Terrorismo, hooligans e racismo: os desafios de Moscou no Mundial da Rússia

IBOPE: Copa do Mundo é apenas a quarta competição preferida dos brasileiros

A Taça Fifa será levada ao gramado pelo goleiro Casillas, capitão da conquista da Espanha em 2012, em companhia da modelo russa Natalia Vodianova. Será o segundo espanhol a levar o troféu, já que a honra, há quatro anos, coube ao ex-zagueiro Puyol – com a brasileira Gisele Bündchen.

Na parte musical, quem se apresentam são o britânico Robbie Williams e a soprano russa Aida Garifullina.

Chefes de estado

A abertura que se projeta esvaziada em termos de espetáculo também estará escassa de chefes de estado dos países participantes. Dos 11 confirmados pelo Kremlin, sede do governo russo, só um estará representado politicamente: o Panamá.

Os outros presidentes presentes são das seguintes nações: Azerbaijão, Belarus, Bolívia, Cazaquistão, Quirguistão, Moldova, Tadjiquistão, Uzbequistão e Ruanda, além do presidente eleito do Paraguai, Mário Abdo Benítez. O Brasil será representado pelo ministro do Esporte, Leandro Cruz.

Bola rolando

Do estádio Luzhniki ao estádio Luzhniki: a Copa do Mundo de 2018 começa nesta quinta-feira com o duelo entre a anfitriã Rússia e a Arábia Saudita pelo grupo A, no mesmo cenário onde será disputada a final no dia 15 de julho.

Uma pequena cerimônia de abertura vai ser realizada antes da partida, com a presença do cantor britânico Robbie Williams e do ex-craque brasileiro Ronaldo.

O jogo não promete ser dos mais atrativos no Mundial, já que Rússia e Arábia Saudita são as duas seleções da competição com pior classificação no ranking da Fifa, na 70ª e 67ª colocações respectivamente.

A Rússia está há sete jogos sem vencer e vive pressionada pela assombração de ser eliminada na fase de grupos na competição que organiza.

“Compreendo a preocupação, mas ninguém deveria estar preocupado”, afirmou nesta quarta-feira o técnico Stanislav Cherchesov ao ser perguntado sobre a péssima sequência da seleção, que não venceu em 2018.

Já o técnico Juan Antonio Pizzi, da Arábia Saudita, declarou que sua equipe vai para o jogo para vencer.

“Meu estilo é ser competitivo. Quero brigar por cada bola, aproveitar cada ocasião, jogar para ganhar”, declarou o treinador argentino.

O duelo entre russos e sauditas inicia a disputa no grupo A, que também contra com o duelo entre Uruguai e Egito na sexta-feira, mesmo dia do encontro ibérico entra Espanha e Portugal, um dos principais jogos da fase de grupos.

O primeiro jogo da Copa também está marcado pela estreia do assistente de vídeo (VAR) em Mundiais. O árbitro argentino Néstor Pitana vai ser o responsável pela partida e poderá ser o primeiro a utilizar o recurso em uma partida oficial no torneio.



FECHAR