publicidade
07/06/18
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

Técnico do Santa Cruz comenta punição: “há cinco anos eu não era expulso”

07 / jun
Publicado por Maria Lua Ribeiro em Notícias às 15:45

A atuação da arbitragem do jogo entre Santa Cruz e Juazeirense na 8ª rodada da Série C ainda está rendendo reclamações. O técnico tricolor, Roberto Fernandes, explicou o motivo das reclamações à beira do campo que acabaram acarretando na sua expulsão, punição que segundo ele, não acontecia há cinco anos na sua carreira. Luiz César de Oliveira Guimarães apitou o jogo, mas as queixas do treinador foram direcionadas principalmente ao bandeira, que marcou um lateral favorável à Juazeirense, bastante contestado por Roberto.

LEIA MAIS:

Anselmo se despede da torcida do Sport: “vocês são nossos pulmões, até breve”

VP do Sport comemora bom momento, mas faz um alerta: “não podemos nos iludir”

“Tem feito um trabalho extraordinário”, diz Beltrão sobre Claudinei Oliveira

“Com todo esse meu temperamento, se você observar, graças a Deus, eu fiquei pouco tempo desempregado (ao longo da carreira de técnico). Então, vamos levar em consideração a temporada. Pelo menos nos últimos 10 anos, 80% da temporada no futebol eu tenho trabalhado. Faz cinco anos que eu não sou expulso. O que me fez perder a estribeira naquele jogo foram algumas inversões de falta e o lance foi na frente do bandeira”, disse o técnico em entrevista à Rádio Jornal.

No lance do lateral a favor da Juazeirense, o que mais aborreceu o técnico foi o fato de ter acontecido à frente do bandeirinha. “A bola bateu claramente no jogador da Juazeirense e na frente do bandeira, mas ele inverte o lateral. Uma outra coisa é como mandante. Eu não vou questionar certo ou errado, mas veja o exercício de memória. Como mandante, faz quantos anos que você não vê o árbitro dar oito minutos de acréscimos contra o mandante?”, questionou.

Mais críticas

Roberto Fernandes também teceu críticas em relação aos acréscimos que a arbitragem deu na etapa final do jogo. “Eu acho que passou um pouquinho da conta. A gente tinha um jogador a menos. Uma expulsão aonde o lance do vermelho, aconteceram tantos outros na partida, e ele por exemplo nem amarelou a equipe da Juazeirense. Então eu acredito que foi uma arbitragem no mínimo muito infeliz. Então não é regra (ser expulso), é exceção. Se você procurar, até os jogadores mais calminhos estão lá”, explicou.


FECHAR