publicidade
06/12/17
Após a saída de Dubeux Sport ainda está sem vice de futebol. Foto: André Nery/Acervo JC Imagem
Após a saída de Dubeux Sport ainda está sem vice de futebol. Foto: André Nery/Acervo JC Imagem

Gustavo Dubeux deixa vice-presidência de futebol do Sport

06 / dez
Publicado por Wladmir Paulino em Notícias às 16:31

Com a alegação de que o ano de 2018 vai consumir muito seu tempo por conta de compromissos profissionais, o vice-presidente de futebol do Sport, Gustavo Dubeux, comunicou, na tarde desta quarta-feira (6), que está deixando o cargo. Ele não fez nenhuma relação com o fato de o time ter brigado para não ser reabaixado para a Série B e reiterou sua opinião de que o ano de 2017 foi positivo. Nos próximos dias o presidente Arnaldo Barros deve anunciar o nome do substituto.

A saída do futebol, no entanto, não implica que ele deixe o clube por completo. Como foi eleito vice-presidente executivo, continua exercendo a função e colaborando com Arnaldo.

Leia mais:

Meio de campo e defesa são incógnitas para o Sport no início de 2018

“Estou deixando a VP de futebol porque é um cargo que exige muito a presença da pessoa. Quando não pude ir aos treinos no CT me penitenciei. Tem que ter muita disponibilidade e o ano de 2018 vai exigir muito minha presença na empresa e não vou poder colaborar com o futebol. Esse é o motivo”, disse ele, que comunicou sua decisão ao presidente na segunda-feira (4).

O dirigente explicou que está no clube há 12 anos em diversas funções e nunca pediu cargo e isso não é a condição principal para dar sua parcela de colaboração. “Pedir cargo não é da minha pessoa. Qualquer pessoa que estiver aqui estarei ajudando, principalmente uma pessoa séria como o presidente Arnaldo Barros. Fui eleito vice-presidente (executivo) e vou continuar”, pontuou.

Dubeux foi questionado se, com a sua saída, o executivo de futebol, Alexandre Faria, também tomaria o mesmo rumo. Respondeu que essa decisão caberá a Arnaldo e o novo vice de futebol, mas elogiou o trabalho de Alexandre, embora tenha dado a entender que ele precisa de algum tipo de melhora. “Alexandre, como todos, teve acertos e erros também. Tem que pesar se houve mais acertos que erros. Quando se tem mais erros precisa de um trabalho de coaching, dar uma melhoria a ele. Todo bom profissional precisa disso. Dei alguns toques onde ele pode melhorar. É um profissional sério e trabalhdor, mas a continuidade dele vai depender do vice de futebol”.

Por fim, ele considerou que o ano de 2017 pode ser considerado positivo por todo trabalho desenvolvido. O que atrapalha o julgamento, no entender de Dubeux, é o fato de o Sport ter feito um péssimo segundo turno do Brasileirão depois de terminar a primeira metade em sexto lugar, brigando por vaga na Libertadores.



PUBLICIDADE
FECHAR