publicidade
26/08/17
Grafite, abriu o placar, mas Santa Cruz sofreu a virada. Foto: Guga Matos/JC Imagem
Grafite, abriu o placar, mas Santa Cruz sofreu a virada. Foto: Guga Matos/JC Imagem

Santa Cruz sofre virada e amplia sequência de derrotas

26 / ago
Publicado por Karoline Albuquerque em Instant Articles às 18:28

O Santa Cruz começou bem e viu o jejum de gols de Grafite acabar em sua reestreia no Arruda, mas o que aconteceu em sequência foi a virada do CRB, na partida da tarde deste sábado (26), pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. O time alagoano venceu por 2×1, com gols de Toni e Chico. O Tricolor está há sete jogos sem vencer, e somou seis derrotas consecutivas na competição.

O péssimo resultado para a Cobra Coral mantém o time na zona de rebaixamento da Segundona, com 23 pontos, e aguarda a partida do Figueirense, que vem logo atrás, para ver se fica ou não na 17ª colocação ao fim desta rodada. O CRB ganhou quatro posições e subiu para o 7º lugar.

Na próxima rodada, o Tricolor enfrenta o ABC, em Natal, apenas no dia 9 de setembro, na Arena das Dunas. O Galo recebe o Oeste no Rei Pelé, no mesmo dia.

LEIA MAIS:

Polícia contém tumulto entre organizadas de Santa Cruz e CRB

Santa Cruz testa venda de ingressos por aplicativo

Uniformizada do CRB tem acesso ao estádio dos Aflitos

FIM DE JEJUM

O Santa Cruz entrou em campo diferente, com os dois Joões: João Ananias, no lugar de Elicarlos, que deixou o clube, e João Paulo, recuperado de lesão na vaga de Léo Lima. O que se pode observar foi o Tricolor fazendo a bola passar de pé em pé nas jogadas.

Mas o primeiro lance de perigo mesmo saiu apenas aos 30 minutos. Nininho e André Luís começaram a jogada. Grafite recebeu em seguida e entregou para Bruno Paulo. O goleiro Edson Kölln desviou para escanteio. O grande lance do primeiro tempo estava perto de acontecer.

No minuto seguinte, o artilheiro tricolor de 2016 desencantou. Depois de quase sete meses sem balançar as redes, Grafite finalmente marcou um gol em seu reencontro com o Arruda (vestindo a camisa coral). Aos 31 da primeira etapa, Nininho ganhou a bola próximo ao meio de campo de Jorginho. O lateral levantou na área e encontrou o ídolo tricolor, que cabeceou para a rede e abriu o placar no Arruda.

EM BAIXA

Do outro lado, Julio Cesar não teve muito trabalho, apesar das possibilidades do adversário. O regatiano Edson Ratinho não teve um primeiro tempo muito agradável. Aos 18 minutos, ele ficou sozinho muito próximo à entrada da área tricolor, bem em frente ao gol defendido por Julio Cesar. Mas, na hora de chutar, a bola passou mesmo foi perto da bandeira de escanteio. Não demorou e o jogador mais uma vez pegou mal. Ele recebeu bom passe de Elvis, dentro da área, e ao tentar cruzar, mandou para fora.

Outro a protagonizar um lance bizarro foi Flávio Boaventura. Aos 40 minutos, o zagueiro estava pressionado por André Luís e tentou afastar da área do CRB. Porém, ele furou e a bola sobrou para o goleiro Edson Kölln. Os tricolores até reclamaram de recuo, mas a arbitragem não marcou nada.

INTENSO

O Santa Cruz começou o segundo tempo ainda com bastante intensidade. O relógio não mostrava nem um minuto quando Bruno Paulo chegou pelo lado esquerdo regatiano. Edson Kölln defendeu o chute. Poucos minutos depois, o jogador chegou na área e tentou cruzar para Grafite, com o arqueiro adversário intercedendo mais uma vez. Em outra tentativa de ataque tricolor, Grafite tabelou com João Paulo, mas foi derrubado por Adalberto, quando ia sozinho em direção ao gol.

MUDANÇA DE LADO

Se o comecinho do segundo tempo mostrava um Santa Cruz superior, com a zaga do CRB deixando a desejar, o bom momento mudou de lado logo aos três minutos desta etapa, começando em um contra-ataque, com Chico cruzando para fora. Depois, Elvis foi quem mandou na área coral.

Com a insistência, o gol do time alagoano saiu eventualmente. E um baita golaço. Toni, que entrou no intervalo de jogo, ficou sozinho com a bola da intermediária e de muito longe chutou para a meta tricolor, empatando o jogo em 1×1. Julio Cesar se esticou, mas não alcançou a bola.

CHANCES

O Santa Cruz voltou a chegar, mesmo pressionado pelo CRB. Primeiro, Grafite mandou para o gol ao receber de Nininho, mas auxiliar já marcava impedimento do atacante. Em seguida, Adalberto vacilou na hora de afastar e Ricardo Bueno ficou com a bola, chutando antes de entrar na área adversária e mandando para fora.

VIRADA

O jejum de gols de Grafite acabou, mas a sequência do Santa Cruz de derrotas chegou a seis jogos. Muito perto do fim do jogo, aos 43 minutos do segundo tempo, o CRB chegou novamente ao ataque. Neto Baiano ganhou lance na área tricolor e o zagueiro Sandro escorregou. Na sequência, Marion mandou para o meio de cabeça e Chico completou para o gol, virando o placar para 2×1.

FICHA DA PARTIDA – SANTA CRUZ 1 x 2 CRB

Santa Cruz: Julio Cesar; Nininho, Sandro, Anderson Salles e Yuri; João Ananias, Derley e João Paulo (Júlio Sheik); André Luís (Ricardo Bueno), Bruno Paulo (Léo Lima) e Grafite. Técnico: Givanildo Oliveira

CRB: Edson Kölln; Eduardo (Toni), Flavio Boaventura, Adalberto e Diego; Rodrigo Souza, Edson Ratinho, Jorginho (Marion) e Chico; Elvis (Yuri) e Neto Baiano. Técnico: Dado Cavalcanti

Série B (22ª rodada). Local: estádio do Arruda, no Recife (PE). Árbitro: Alinor Silva da Paixão (MT). Assistentes: Marcelo Grando e Renan Angelim Rodrigues (ambos do Mato Grosso). Gols: Grafite (S), aos 31′ do 1T, Toni (C), aos 14′ do 2T, e Chico (C), aos 43′ do 2T. Cartões amarelos: Eduardo (C), Bruno Paulo (S), Grafite (S), Jorginho (C), Yuri (S), Adalberto (C), Flávio Boaventura (C), Chico (C), Neto Baiano (C) e Derley (S). Público: 8.110. Renda: R$ 59.690.



PUBLICIDADE
FECHAR