publicidade
16/mar
Alison ainda não marcou gol pelo Náutico. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Alison ainda não marcou gol pelo Náutico. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Atacantes do Náutico ainda não decolaram na temporada

16 / mar
Publicado por Karoline Albuquerque em Náutico às 7:17

Por Filipe Farias, da editoria de esportes do Jornal do Commercio

A cada rodada que passa fica evidente que o garoto Erick foi um achado para o Náutico. Com exceção do prata da casa, um outro atacante alvirrubro não marca um gol há 10 partidas. O último atleta de ataque que balançou as redes adversárias foi Anselmo, no empate em 1×1, contra o Santa Cruz, no dia 29 de janeiro, na Arena Pernambuco, pelo Estadual.

De lá pra cá, o Timbu fez sete gols. Além de Erick, que já anotou três e é o artilheiro da equipe na temporada, os meias Marco Antônio (dois) e Maylson (um), e o zagueiro Nirley foram os responsáveis por garantirem os pontos para o Náutico.

LEIA MAIS:

Náutico quer aproveitar chance de alcançar liderança do Pernambucano

Tiago Alves e Marco Antônio desfalcam o Náutico contra o Salgueiro

João Ananias destaca ascensão da base no Náutico: “planejamento”

Um dos responsáveis por municiar o setor ofensivo alvirrubro, o meia Dudu confessa não ter uma resposta para a seca dos atacantes do clube. “Não sei explicar o porquê de a bola não estar entrando. Vejo que Alison sempre reclama (que ainda não marcou), Anselmo está voltando agora e também está com sede de gols. Giva é um cara próximo a mim porque jogamos no Coritiba e sei que se cobra. Claro que isso nos incomoda, mas, ao mesmo tempo, estamos felizes porque nos últimos jogos evoluímos bastante coletivamente”, disse o meia. O Náutico vem de três vitórias e dois empates.

Bastante experiente, Tiago Cardoso sabe que é normal o atleta ter altos e baixos ao longo da temporada, e tem procurado passar confiança aos homens da frente. “Eles precisam ter paciência e saberem que o grupo e a comissão-técnica confiam neles. A gente vê que nos treinos eles estão se dedicando, mas no jogo é diferente porque às vezes a bola não chega e tem o adversário. Por isso é ter perseverança que o momento deles vão chegar e daqui a pouco a rede vai começar a balançar”, desejou o camisa 1 alvirrubro.


PUBLICIDADE
FECHAR