publicidade
26/set
Tricolor precisa vencer muitos jogos na Série A. Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Tricolor precisa vencer muitos jogos na Série A. Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Santa Cruz precisa do aproveitamento do Palmeiras para fugir do rebaixamento

26 / set
Publicado por Wladmir Paulino em Instant Articles às 10:17

Se o time não consegue reagir em campo, os números escancaram ainda mais a imensa dificuldade que o Santa Cruz tem para manter-se na primeira divisão do futebol brasileiro. A história mostra que entre 45 pontos são suficientes para escapar do rebaixamento – inclusive é esse o número buscado por nove entre dez técnicos que encontram-se nesta condição. Só que essa pontuação necessária para se alcançar essa meta é praticamente a mesma que o Tricolor tem até agora, em 27 jogos. Uma tarefa bastante árdua para a equipe que chegou a liderar o Brasileirão nas primeiras rodadas.

LEIA MAIS:

> Santa Cruz perde para Figueirense e complica fuga do Z4

Tomando como objetivo esses 45, o time do Arruda precisaria de, pelo menos 22 pontos nos 11 compromissos restantes – são 33 pontos em jogo. Isso rende um aproveitamento de 66,6%, já a partir da próxima rodada, diante de ninguém menos que o líder Palmeiras, na próxima segunda-feira (3). A ironia é que esses 66,6% que os corais precisam é o que o Verdão fez até o momento – o time de Cuca conseguiu 66,7% dos pontos disputados.

Outra situação mostra que a situação está cada vez mais grave: a distância para o América Mineiro, disparado o pior time da competição desde a primeira rodada. O Coelho reagiu e hoje está a apenas dois pontos do Santa (21×23) e tem uma vitória a menos (5×6). Há apenas quatro rodadas, a 23ª, o abismo era de sete pontos (20×13). Nesse intervalo, os mineiros venceram dois jogos e empataram outros dois.

“Sabemos das nossas condições e da situação no campeonato. Assumimos toda a responsabilidade e não tem outra palavra que não seja trabalhar. Tirar força com a comissão técnica, nossas famílias para sair disso o mais rápido possível”, disse o volante Uillian Correia.


PUBLICIDADE
FECHAR