Para Caça Rato, não importa gol de joelho e sim os três pontos


Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

Autor do gol da vitória, Flávio Caça Rato manteve sua simplicidade e não deu nenhum polimento no lance que definiu o jogo: foi sim, de joelho, que ele tocou na bola para que ela fosse longe o suficiente do goleiro João Paulo e entrasse no canto direito. Para ele pouco importa a parte do corpo. Valeu três pontos e a volta ao G4. E isso é o mais importante para todos.

"Saímos com os três pontos, que é o que mais importa. Sandro já tinha dito para ir no primeiro pau naqueles cruzamentos do Dênis. Pegou no meu joelho e entrou", disse o atacante. Ele ressaltou que o segredo para o resultado positivo foi a doação de todos os jogadores, fator que independe de quem seja o treinador.

"Nosso foco sempre foi subir para a Série B, desde a época com Marcelo (Martelotte, técnico no Pernambucano). Aqui todo mundo trabalha em grupo sempre com esse objetivo. O Time de Guerreiros (como diz a torcida) não é por acaso", disse.

O volante Luciano Sorriso, que superou uma forte virose para estar em campo explicou que teve que recorrer até a injeções para entrar em campo e só saiu quando não tinha mais de onde tirar forças. "Estou feliz depois de uma semana muito ruim, passei noites sem dormir e hoje, antes do jogo tive que tomar injeções. Estava bem debilitado e fui até onde consegui. Mas tem que ser dessa forma, encarar a Série C com esse espírito", argumentou.

Apesar da vitória ele acredita que o time ainda tem muito a melhorar, embora concorde com o treinador de que o placar poderia ser mais favorável aos tricolores. "Estamos no caminho certo mas temos muito o que melhorar. Mas as coisas caminhando dessa forma, com todos pensando no Santa e não no eu a tendência é que as coisas sejam favoráveis".
 

Deixe um Comentário