Arena Pernambuco é entregue neste domingo. Blog traça perfil do estádio


Estádio não receberá jogos neste fim de semana. Foto: Divulgação

Finalmente chegou o dia. A partir do próximo domingo, 14 de abril, Pernambuco se juntará ao Ceará, à Bahia e a Minas Gerais na lista de estados com estádios da Copa do Mundo concluídos. Iniciada em outubro de de 2010, a Arena Pernambuco será aberta oficialmente pelas autoridades pernambucanas. Foram 31 meses e muitas dores de cabeça até que esse dia chegasse. É verdade que o evento ainda não é uma partida oficial. No entanto, é o primeiro gostinho mais concreto (quase que literalmente) da Copa das Confederações de 2013 e do Mundial do próximo ano.

Como nos outros estados, a entrega da Arena Pernambuco será apenas simbólica. A partir de 21 de abril, a arena estará aberta para visitações do público. O primeiro jogo ocorrerá somente no dia 14 de maio, com a presença dos operários do estádio. O tempo é suficiente para os ajustes finais da construção. Jogo oficial mesmo somente no dia 22 de maio com a obrigação da presença do Náutico, equipe que passará a mandar os seus jogos na arena depois da Copa das Confederações.

As dificuldades do início e o plano de aceleração

O clima com certeza será de festa no próximo domingo. O ambiente será bastante diferente dos meses iniciais da construção quando greves atrapalharam o andamento da obra. Como se não bastasse, as chuvas também prejudicaram a terraplenagem do terreno da arena. A obra pouco avançou visivelmente entre outubro de 2010 e junho de 2012 – não chegou nem aos 50%. A cidade que desejava sediar a Copa das Confederações foi colocada em xeque pelo secretário-geral da Fifa, Jêrome Valcke.


Arena pouco avançou até o primeiro semestre de 2012. A imagem acima foi registrada em novembro de 2011. Foto: Divulgação

A virada da obra da Arena, porém, viria após uma visita do próprio Valcke, em junho de 2012. Na época o estádio estava 43% pronto e era dado como praticamente fora da torneio que atencede a Copa do Mundo um ano antes. Seria necessária uma verdadeira engenharia de aceleração para que a Fifa aceitasse o estádio pernambucano na Copa das Confederações.

E o plano de acelaração da arena veio. Junto com ele o aumento dos gastos, que o Governo do Estado só vai divulgar com a obra totalmente finalizada. Já é possível afirmar que o orçamento de R$ 530 milhões planejado inicialmente foi ultrapassado não só pela necessidade de correr com a obra, mas também pelos reajustes financeiros durante a construção.


Estádio em outubro de 2012 já com a primeira parte da cobertura. Foto: Divulgação

Com a aceleração, a Arena Pernambuco virou uma verdadeira cidade em obras. Mais de 4.500 funcionários chegaram a trabalhar na obra dia e noite sem parar. O som da construção civil só era interrompido por algumas horas para manutenção das máquinas. Tudo isso para que o estádio conseguisse atingir a meta da Fifa e entrar no quadro de sedes da Copa das Confederações.

A confirmação como sede da Copa das Confederações

O resultado veio em novembro de 2012 com a oficialização da Fifa. Recife irá receber três jogos da Copa das Confederações – Espanha x Uruguai, Itália x Japão e Uruguai x Taiti. O sinal de que tudo estava no caminho desejado veio em março deste ano, quando Valcke voltou ao Recife e encontrou a arena praticamente pronta, beirando aos 90%. "Estou muito satisfeito com o que estou vendo. Digo bravo e parabéns", afirmou o secretário-geral da Fifa na época.

Atualmente a Arena Pernambuco está praticamente concluída. Partes importantes como a cobertura e o gramado já foram feitas. Restam detalhes como o acabamento, por exemplo. Por conta disso, a data de 14 de abril, divulgada antes como o dia de inauguração do estádio, é encarada agora como apenas como mais uma visita para os jornalistas.


Gramado foi concluído no fim de março deste ano. Foto: Thiago Wagner/Blog do Torcedor

O futuro

Após a Copa das Confederações, a Arena Pernambuco passará a receber os jogos do Náutico. O Timbu mandará suas partidas na arera durante os próximos 30 anos de acordo com contrato feito junto à Odebrecht, operadora do estádio. A antiga casa, os Aflitos, deverá ser explorada comercialmente. Além das partidas, a Arena Pernambuco tem tudo para ser mais um ponto de shows e eventos na Região Metropolitana do Recife. A grande expectativa após a conclusão fica por conta da mudança do cenário do entorno. Será o momento do investimento na Cidade da Copa.


Foto: Rodrigo Lôbo/JC Imagem

Ficha técnica da Arena Pernambuco:

Área: 42 hectares
Área de construção: 130 mil m²
Área de coberta: 20 mil m²
Público total: 46.105 (1.600 assentos nos camarotes, 1.800 assentos business e 2.700 assentos premium).
Estacionamento: 4.720 vagas, sendo 800 cobertas.
Escadas rolantes: 13
Elevadores: 8
Rampa de acesso: 8
Entradas: 12
Bares: 42
Restaurantes: 4
Conjunto de banheiros: 71
Auditório: 400 pessoas
Pavimentos: 6
Camarotes: 102
Assentos Premium: 4.700
Telões: 2
Câmeras de segurança: 271
Custo da obra: R$ 530 milhões (números históricos ainda sem correção)

O estádio está pronto, mas e o acesso?

Nem só de de arena vive a Copa das Confederações e a Copa do Mundo, o acesso para o estádio também é importante. No caso do Recife, sete das 14 obras previstas para o torneio de 2013 estão prontas: a duplicação e o viaduto da BR-408, os conectores do Aeroporto do Recife, o terminal integrado aeroporto, o viaduto da Panordestina, a requalificação da Estrada da Batalha e o viaduto dos Bultrins. Outras seis intervenções de mobilidade são previstas para a Copa do Mundo, totalizando 20 no total.

Entre as obras que ainda não estão concluídas está o Ramal Cidade da Copa, que será o principal acesso para a Arena Pernambuco durante os dois torneios. A estrada está 86% pronta (percentual referente ao mês de março). A previsão de entrega do ramal, orçado em R$ 131 milhões, é para maio deste ano. Confira  abaixo como estão as obra de mobilidade para os torneios da Fifa:

Deixe um Comentário